Curiosidades » Arqueologia

Amor em batalha: o intrigante casal de guerreiros de 2,5 mil anos

Encontrados em um sítio arqueológico na Sibéria, os amantes foram enterrados junto de um bebê e uma serva. Perto dali, os arqueólogos ainda encontraram uma terceira guerreira

Pamela Malva Publicado em 13/10/2020, às 18h30

Área bem preservada descoberta no sítio arqueológico na Sibéria
Área bem preservada descoberta no sítio arqueológico na Sibéria - Universidade Estadual de Novosibirsk

No final de Setembro, arqueólogos de uma região da Sibéria, na Rússia, revelaram ter encontrado os restos mortais de um casal de guerreiros, seu bebê e uma serva. Datados de 2,5 mil anos atrás, os quatro esqueletos estavam bem preservados.

Além da família, os pesquisadores ainda encontraram os ossos de uma terceira mulher, enterrados em outra cova. Dentro de ambos os túmulos, também foram encontradas adagas de bronze, machados e réplicas de armas de combate.

Para os cientistas, a presença das peças afiadas nas duas covas sugerem que os indíviduos enterrados eram guerreiros, segundo explicou Dr. Oleg Mitko, o líder da escavação. Nesse sentido, ainda de acordo com os especialistas, as pessoas encontradas faziam parte da civilização cita — que dominou a Ásia a partir do século 7 a.C..

Segundo os cientistas, o casal tinha 30 anos cada, enquanto a serva morreu com 60 anos, todos provavelmente acometidos pela mesma infecção. Enterrada sozinha, a terceira mulher detinha com um pequeno pente. Feita de chifre, a peça comprova que, naquela época, as pessoas eram enterradas com miniaturas de armas ou objetos pessoais.

Confira fotos do incrível achado:

Os restos do casal e sua serva na cova onde foram enterrados / Crédito: Universidade Estadual de Novosibirsk

 

Os restos da mulher guerreira na cova onde foi enterrada / Crédito: Universidade Estadual de Novosibirsk

 

Adagas de bronze e machados encontrados na cova do casal de guerreiros / Crédito: Universidade Estadual de Novosibirsk