Curiosidades » Civilizações

Baile no Moulin Rouge: Conheça impressionante a obra de Henri de Toulouse-Lautrec

Uma noite boêmia, sob o olhar de um amante dos cabarés

Mariana Ribas e Leticia Yazbek Publicado em 30/05/2021, às 09h00

Baile no Moulin Rouge (1890)
Baile no Moulin Rouge (1890) - Henri de Toulouse-Lautrec, Domínio Público, via Wikimedia Commons

H enri de Toulouse-Lautrec foi um dos mais importantes artistas pós-impressionistas do final do século 19. Nascido na França em 1864, ele eternizou sua visão para o que até hoje ainda é polêmico: o profano.

O pintor ficou conhecido por suas pinturas de cabarés, seus retratos de prostitutas – que na vida real eram suas amigas. Inovou ao mostrar mulheres desse ambiente em contextos de rotina, sem hipersexualizar suas personagens ou julgá-las.

Revelou a exuberância do cancã, mas também garotas de programa entediadas com as horas de espera no trabalho. Provocou escândalo ao humanizar figuras que a sociedade demoniza.

Essa arte antirrótulo falava alto ao coração do pintor, ele próprio alvo de preconceito. O artista sofria de um distúrbio genético raro (hoje chamado de síndrome de Toulouse-Lautrec): tinha um corpo de criança sustentando a cabeça adulta.

Um problema ligado à endogamia – seus pais eram primos de primeiro grau.  Um de seus quadros mais importantes é este Baile no Moulin Rouge, de 1890, em que Toulouse-Lautrec ilustra uma noite festiva no mais renomado dos cabarés de Paris.

A obra apresenta dois frequentadores dando um show de dança em meio aos habitués de classe média e às prostitutas. A arte dos marginalizados inspirando a grande arte do pós-impressionista.

Baile no Moulin Rouge (1890) // Henri de Toulouse-Lautrec, Domínio Público, via Wikimedia Commons

 

Pensando nisso, veja 4 curiosidades sobre a obra Baile no Moulin Rouge!

1. Valentin le Désossé 

O homem à esquerda da dançarina, chamado Valentin le Désossé (Valentin,
“o desossado”, uma referência à sua flexibilidade na dança), era famoso nas pistas do cabaré, e está ensinando novos passos. Os dois dançam cancã.


2. A La Goulue

Em primeiro plano, o artista apresenta uma mulher de perfil, que se destaca em meio à cena. Trata-se de La Goulue (“a gulosa”), apelido da dançarina Louise Weber, uma das musas de Toulouse-Lautrec.


3. Círculo social

Muitas pessoas retratadas na pintura são artistas que faziam parte do círculo social de Lautrec, como o poeta irlandês W.B. Yeats, que aparece de barba branca, próximo ao bar.


4. Luz fria e artificial 

Apesar da influência impressionista, o artista foge das nuances da luz natural características do movimento. Prefere a luz fria e artificial dos ambientes fechados, que revela os traços verdadeiros e os movimentos rápidos das pessoas na agitação do cabaré