Curiosidades » Personagem

Bastidores da corte: 8 respostas para dúvidas sobre a vida do Príncipe Philip

Marido de Elizabeth II faleceu na última sexta-feira, 9, aos 99 anos

Redação Publicado em 10/04/2021, às 11h28

Príncipe Philip em 2016
Príncipe Philip em 2016 - Getty Images

Na última sexta-feira, 9, o mundo recebeu a comovente notícia da morte do Príncipe Philip, duque de Edimburgo e marido de Elizabeth II.

Conhecido por sua paixão pela aviação e piadas impróprias, o membro da família real faleceu aos 99 anos. Até o momento, a causa da morte não fora divulgada para imprensa.

A informação da morte foi divulgada através das redes sociais da família real. "É com profunda tristeza que Sua Majestade, a Rainha anunciou a morte de seu amado marido, Sua Alteza Real, o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo. Sua Alteza Real faleceu pacificamente esta manhã no Castelo de Windsor", anunciou a conta.

Com o óbito, muitos internautas não só relembraram a vida de Philip ates de conhecer a monarca, mas também sobre os seus dias finais. Assim, muitas dúvidas sobre a trajetória de Philip surgiram nas redes sociais.

Philip em imagem oficial da monarquia /Crédito: Getty Images

 

Pensando nisso, o site Aventuras na História procurou respostas para a maioria das perguntas feitas por admiradores da família real britânica.

Confira abaixo.

1. Ele teve uma dura infância?

Antes de tudo, é necessário lembrar que Philip fazia parte de uma realeza bem antes de conhecer Elizabeth II. Antes de ser naturalizado como cidadão britânico, o companheiro da rainha era príncipe da Grécia e Dinarmaca. Fazia parte da família exilada em 1922. Assim, não só Philip, mas também suas irmãs tiveram que fugir para a França.

Em outros capítulos mais dramáticos, Alice de Battenberg, sua mãe, fora levada para uma clínica psiquiátrica e o pai Andrew da Grécia e Dinamarca, tinha cada vez menos contato com os filhos quando se mudou para o sul do país.


2. Philip tinha parentes nazistas?

Sim, infelizmente, o pai do príncipe Charles carrega em suas raízes a história de familiares que tiveram proximidade com membros do Reich. Conforme relatado pelo Express, três dos homens casados com suas irmãs faziam parte do partido de Hitler. Diante da ligação, o veículo relata que elas até mesmo deixaram de ser convidadas para o casamento da jovem Lilibet com Philip.


3. Elizabeth tinha 13 anos quando conheceu o amado?

Essa dúvida, conhecida por muitos, ainda intriga admiradores. A Vanity Fair relembrou o primeiro encontro do futuro casal. Elizabeth tinha 13 anos, enquanto o jovem estava na casa dos 18 anos. A aproximação do futuro casal se deu através de cartas, contudo, só fora oficializada em 1947.


4. Elizabeth era prima de Philip?

Rainha Elizabeth e Príncipe Philip durante aparição pública /Getty Images

 

Exatamente. Muitos não sabem, mas monarca e Philip eram primos em parentesco que compreende terceiro grau. Acontece que ambos são tataranetos da icônica monarca Vitória e bisnetos de Christian, que foi o nono rei da Dinamarca.


5. Ele brigou pelo sobrenome?

Em um capítulo abordado em The Crown o nobre se incomoda diante da possibilidade de seus filhos não carregarem o seu sobrenome e chegou a pressionar a realeza numa possível mudança do que consta no protocolo.

Na realidade, não existem provas para sustentar que isso aconteceu na vida real. Vale destacar que se tratando da família real, é comum que a rainha acabe repassando o nome da família aos seus descendentes. O único relato que consta um possível incômodo do Duque de Edimburgo consta na obra "Philip and Elizabeth: Portrait of a Royal Marriage”, escrita por Gyles Brandreth.

"Não sou nada mais do que uma maldita ameba. Sou o único homem no país que não pode dar seu nome a seus próprios filhos”, teria dito Philip, segundo a biografia.


6. Philip não era rei?

Com a notícia da morte do Príncipe Philip, as redes sociais foram tomadas pelo questionamento mais famoso da lista. Isso porque muitos imaginavam que o marido de Elizabeth era rei consorte da Inglaterra, entretanto, isso nunca aconteceu. Mas não foi por culpa da monarca.

As leis que moldam a família real definem que apenas monarcas homens podem passar o título para as esposas, assim elas se tornam automaticamente rainhas consortes.

Contudo, o cenário muda quando se trata de uma mulher no posto máximo, que não pode definir o seu marido como rei consorte. Foi assim que a realeza encontrou uma forma de evitar que a linhagem real passe para a família do homem.


7. Philip era próximo de Diana?

Príncipe Philip, em 22 de julho de 2020 /Crédito: Getty Images

 

Neste tópico, é importante destacar que Philip prestou atenção nas aflições da jovem Diana em meio a rotina da realeza. Ingreid Seward, que é autora de Prince Philip Revealed, explica na obra que o marido de Elizabeth a ajudou nos momentos iniciais. "Quando Diana se juntou à família real, foi Philip que veio ajudá-la, sentando ao lado dela em jantares formais e conversando com ela enquanto ela aprendia a arte da conversa fiada", diz o livro.

Já em um dos episódios mais escandalosos da monarquia, que compreende o divórcio, marcado pela traição, de Charles e Diana, o pai do Príncipe apoiou Diana. Cartas que foram divulgadas pela imprensa demonstram o real sentimento do nobre diante da separação.

"Eu não consigo imaginar ninguém, em sã consciência, deixando você pela Camilla", escreveu o companheiro de Elizabeth. "Charles foi bobo ao arriscar tudo [para ficar] com Camilla para um homem da posição dele. Nós nunca nem sonhamos que ele pudesse querer te deixar por ela. Uma possibilidade dessas nunca nem mesmo entrou em nossas cabeças”, relatou em outra carta.


8. Philip era conhecido por gafes?

Sim! Ao longo de seus 99 anos anos de vida, o marido de Elizabeth ficou conhecido por seus comentários problemáticos em diferentes momentos. Mas sem maiores detalhes, você pode conferir 11 desses momentos aqui.