Curiosidades » Bizarro

Bizarro receio: Por 200 anos, o tomate era considerado venenoso na Europa

A fruta incluída normalmente nas dietas de boa parte das pessoas já foi tida como amaldiçoada no Velho Continente, e só mudou seu paradigma com uma insólita história

Caio Tortamano Publicado em 22/02/2020, às 10h00

O tomate já foi tido como venenoso
O tomate já foi tido como venenoso - Wikimedia Commons

O tomate é um fruto originário da América do Sul, tendo seus primeiros registros vindo do Peru, especificamente das regiões mais altas e montanhosas. A crença de que seria venenosa, começou por conta dos ingleses.

Os bretões serviam a fruta em pratos de estanho, o problema é que nesses utensílios muitas vezes havia traços de chumbo. O tomate, por ser bastante ácido, fazia a função involuntária de retirar o chumbo dos pratos e passá-lo ao alimento por meio de reações químicas.

O chumbo é um elemento venenoso se ingerido, e isso levou à diversos consumidores mortos pouco tempo depois de se alimentarem com as maçãs venenosas — como ficaram conhecidas na época.

Outro fato que auxiliou a disseminar a falsa fama do tomate foi a suposição de John Gerard, um empregado da companhia Barber-Surgeon, que julgou o fruto venenoso por conter baixos níveis da toxina tomatina — que apresenta funções fungicidas e antimicrobianas, que podem apresentar benefícios à saúde.

Os tomates eram, em sua maioria, cultivados para servirem de decorações em festas e bailes da alta classe europeia, que se atraía pela escarlate fruta. Atração essa que foi apontada como um dos efeitos do consumo dela, sendo considerada como um alimento afrodisíaco, além de venenoso.

Porém, em 1820, um homem nos Estados Unidos resolveu colocar sua própria vida à prova para mudar a visão que as pessoas tinham sobre o fruto. O coronel Robert Gibbon subiu as escadarias do tribunal de Salem, em Nova Jersey, e comeu um tomate inteiro, na frente da população. Gibbon, obviamente, não morreu, e a popularidade do alimento aumentou à medida que o medo por ele ia sumindo.

Na Europa, o tomate quase caiu em esquecimento mesmo após se saber que ele não era necessariamente venenoso, isso porque era muito cítrico para ser consumida como uma fruta. Porém, um chefe de cozinha da corte espanhola, Antonio Latine, misturou tomate, cebola e azeite para criar o molho de tomate, o que sacramentou de vez o seu consumo.


+ Saiba mais sobre o tema através de obras abaixo:

O império do ouro vermelho: A história secreta de uma mercadoria universal, de Jean-Baptiste Malet (2019) - https://amzn.to/37OZ2O6

Tomate: 50 das melhores receitas, de Academia Barilla (2013) - https://amzn.to/2HH0S92

Senttia Tomate, de Catapulta Editores (2018) - https://amzn.to/2v4mucL

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.