Curiosidades » Entretenimento

Celebridades virtuais: o tétrico episódio de Black Mirror que muito se parece com a vida real

Em Rachel, Jack and Ashley Too, da última temporada da série, o mundo se vê diante de uma cantora pop que é 'transportada' para o mundo virtual. Entenda!

Thiago Lincolins Publicado em 06/12/2020, às 10h00

Pôster de divulgação da série Black Mirror, da Netflix
Pôster de divulgação da série Black Mirror, da Netflix - Divulgação/Netflix

Lançada em 2011 pela plataforma de streamingNetflix, a série Black Mirror instiga o público com episódios que chocam por mostrar o impacto da tecnologia na vida de seres humanos no futuro.

Com 5 temporadas aclamadas pelo público, a produção de Charlie Brooker já garantiu 23 prêmios, incluindo o famoso Emmy.

Acompanhada por narrativas ficcionais surpreendentes, não é espanto que a série levante questionamentos como: “Será que isso pode acontecer no futuro?".

Preço da fama

Bom, na última temporada da produção, lançada em 2019, um dos episódios surpreendeu os assinantes da plataforma de streaming. Em Rachel, Jack and Ashley Too, uma cantora pop se vê diante de uma perturbadora relação com o mundo da fama.

A cantora fictícita Ashley O, interpretada por Miley Cyrus /Crédito - Divulgação/Netflix

 

Interpretada pela atriz e cantora norte-americana Miley Cyrus, a pop star Ashley O tem uma vida dupla – fato que surpreendeu os fãs de Cyrus, que relembraram do papel da jovem na série Hannah Montana, do Disney Channel. No entanto, diante do tom macabro de Black Mirror, a vida fora dos holofotes da artista teen é um verdadeiro pesadelo. 

No terceiro e último episódio da temporada, Ashley O é controlada por Catherine, uma tia que administra a sua carreira. Contudo, ela acaba sendo responsável por fazer um inferno da vida da cantora, que é obrigada a se render para os ritmos genéricos da indústria e deixar de lado a vocação natural: cantar rock.

Assim, Ashley O decide finalmente se livrar do peso do presente ao finalizar seu contrato com a tia, que de cara arma um plano que deixa a cantora em coma.

A boneca virtual Ashley Too /Crédito - Divulgação/Netflix

 

Em um tom típico Black Mirror, Ashley O passa a ser controlada através de aparelhos futurísticos, enquanto sua tia comercializa a carreira artística da artista através de hologramas que poderiam fazer uma tour ao redor do mundo.

Mas como esse bizarro caso se relaciona de alguma maneira com a vida real?

Tudo virtual

Bom, em outubro Lee Soo-Man, fundador da SM Entertainment, responsável por inúmeros grupos de K-pop, abriu o Fórum Mundial da Indústria Cultural falando sobre um projeto inovador — e controverso — da empresa. A nova aposta do magnata: celebridades virtuais.

A próxima geração de idols (idolos, em português) já está sendo formada: logo após a palestra, o mais novo grupo feminino de K-pop da SM foi anunciado no Twitter. Aespa fará parte da SM Culture Universe (SMCU) e contará com nada mais nada menos que um avatar de inteligência artificial (IA).

O grupo /Crédito - Divulgação/Aespa 

 

Falando sobre as novas demandas, decorrentes da pandemia e do consequente isolamento social causado pelo novo coronavírus, Lee disse: “como sugeri antes, o futuro que imagino será definido por um mundo de celebridades e robôs”. 

“No mundo das celebridades, os robôs alimentados por big data desempenharão um papel significativo. Mais importante ainda, o desenvolvimento da tecnologia de IA permitirá que avatares personalizados se adaptem à vida das pessoas”, explicou. A ideia é que o fã poderá conviver com seu ídolo virtual "como uma pessoa viva, como um amigo".

Vale lembrar que o episódio da série também retrata uma amizade tétrica entre um fã da cantora pop com um dos bonecos comercializados pela tia de Ashley, que diante de um problema passa a capturar e transmitir os pensamentos da artista que está em coma. 

Cena do episódio /Crédito - Divulgação/Netflix

 

Na vida real, o empresário diz que o projeto em questão “irá anunciar o início do futuro do entretenimento", responsável por misturar as barreiras entre o virtual e o real. Nas redes sociais, muitas críticas foram feitas à empresa, mas ainda há certa curiosidade sobre o que está por vir no mundo do entretenimento.

Confira o vídeo postado na conta oficial do girl-group Aespa no Twitter, onde é possível observar a interação entre a idol Karina e sua versão de inteligência artificial, My Karina