Curiosidades » Netflix

Clark Olofsson: por onde anda o criminoso que inspirou série da Netflix?

História do homem que tem ligação com a origem do termo 'Síndrome de Estocolmo' é retratada em nova série da Netflix

Redação Publicado em 11/05/2022, às 19h06 - Atualizado em 13/05/2022, às 09h07

Imagem promocional de Clark (2022)
Imagem promocional de Clark (2022) - Divulgação/Netflix

Em mais uma grande estreia no ano de 2022, a plataforma de streaming Netflix surpreendeu os assinantes com a série 'Clark'. Com a ilustre atuação de Bill Skarsgård, o público conhece a história real de Clark Olofsson, homem responsável por um sequestro que originou o que identificamos hoje como 'Síndrome de Estocolmo', ou seja, quando a vítima desenvolve um vínculo com o sequestrador. 

Vale destacar, no entanto, que a série é baseada na autobiografia do criminoso, sendo assim marcada por verdades e mentiras, como repercute o Express. Fato é que na década de 1960, Olofsson iniciou uma saga que o tornaria um dos mais insólitos criminosos da Suécia. 

Contudo, o que ganha destaque na série da Netflix é o assalto que ele participou em 1970, em Estocolmo, e que não acabou tendo um resultado positivo.

Na Praça Norrmalmstorg, foi iniciado o episódio que fez com que Clark fosse tirado da cadeia e levado para o banco, como uma das condições impostas por Jan Olsson, um dos nomes envolvidos no crime, conforme repercutido pela BBC em 2016.

Bill Skarsgård como Clark Olofsson em "Clark" (2022) /Crédito: Divulgação/Netflix

Diante dos desdobramentos, os reféns, em um episódio inusitado, acabaram desenvolvendo simpatia pelos sequestradores, o que resultou no que conhecemos hoje como 'Síndrome de Estocolmo'. 

Após a série da Netflix, muitos devem se perguntar onde se encontra Clark Olofsson, 49 anos após o crime que entrou para a História. Bom, o Express repercute que ele tem atualmente 75 anos e mora na Bélgica, seu destino após ser tirado de trás das grades. 

E a condenação?

Antes de voltar a vida normal, o INews relata que Clark foi absolvido por envolvimento no episódio, pois, conseguiu argumentar que fora capaz de atuar na tentativa de manter os reféns com vida. Em seguida, ele foi levado de volta à prisão, pois, teria que cumprir o que sobrou de sua sentença original. 

Todavia, se engana quem imagina que o criminoso se arrependeu do passado: ele escapou da prisão de Norrköping, realizou assalto a um banco de Copenhague e fugiu. Conseguiu passar um ano longe da captura das autoridades, contudo, fora detido e precisou encarar oito anos de prisão.

Sem sucesso

O Express também explica que, até o ano de 2012, Clark se encontrava na prisão de Saltvki, Härnösand, antes de ser transferido para a prisão de Kumla. Uma das tentativas para reverter a condenação se deu em 2013, através da solicitação de um novo julgamento, contudo, não teve sucesso. 

Outro desdobramento do caso se deu em 2016, quando foi levado para a prisão de Vorst, na Bélgica. Já em 2018, segundo o Express, tentou negociar a possibilidade da liberdade condicional. No mesmo ano, ele foi libertado e passou a viver na Bélgica.