Curiosidades » Personagem

Como o diário de Anne Frank foi encontrado?

A obra é considerada um dos mais importante relatos da Segunda Guerra

Redação Publicado em 20/09/2020, às 09h00

O diário da jovem Anne Frank
O diário da jovem Anne Frank - Wikimedia Commons

Na manhã do dia 12 de junho de 1942, ao completar 13 anos, Anneliese Marie Frank desceu as escadas de sua casa em desembrulhou presentes. Entre eles, havia um diário. Nele, ela deixaria os escritos de seu cotidiano em Amsterdã, Holanda, para onde se mudou com a família.

Os Frank, judeus, haviam deixado a Alemanha natal em 1933, após a ascensão de Adolf Hitler. Em seus relatos, Anne contou como a vida da família mudou radicalmente com uma carta do partido nazista convocando Margot, sua irmã mais velha, de 16 anos, para trabalhar.

Em 7 de julho de 1942, a família se viu obrigada a se mudar para um esconderijo, o “anexo secreto”, no escritório dos holandeses Bep Voskuijl e Miep Gies, casal de amigos de Otto Frank, pai de Anne.

Anne Frank /Crédito: Wikimedia Commons

 

O anexo ficava atrás de uma prateleira móvel do escritório e servia de cenário para a maioria dos relatos da jovem. Foi graças aos amigos que os Frank tiveram comida, roupa e notícias da guerra durante os dois anos de confinamento.

Além de Anne e dos parentes dela, moravam no esconderijo outra família e um senhor – um total de oito pessoas.

O último escrito de Anne data de 1° de agosto de 1944, três dias depois de a Gestapo, a polícia secreta de Hitler, invadir o esconderijo e enviar todos a campos de concentração. Anne foi levada com a família para Auschwits, Polônia, e depois, com Margot, ao campo de Bergen-Belsen, Alemanha, onde morreu de tifo em março de 1945.

Simulação do anexo secreto de Anne Frank /Crédito: Wikimedia Commons

 

Quando foi ao anexo recém-saqueado, Miep Gies, guardou o diário, fotos da família e outros escritos de Anne, espalhados pelo chão, para entregá-los à família depois da guerra.

Em 1945, Otto retornou a Amsterdã e constatou ser o único sobrevivente. Ao ler o diário, ficou surpreso com a profundidade dele e decidiu editá-lo e prepara-lo para publicação, que aconteceu em 25 de junho de 1947. Até hoje, foram vendidas mais de 30 milhões de cópias em mais de 50 línguas e entrando no currículo das escolas do mundo todo. 

Anne escreveu e reescreveu as páginas do que viria a ser o famoso livro, o que aumentou o volume de folhas soltas. O primeiro diário, no entanto, de capa xadrez vermelha e branca, é o mais famoso.

Ele e todo o material de Anne estão arquivados no Instituto Holandês da Documentação da Guerra, em Amsterdã, desde 1980, quando Otto Frank morreu. Outras páginas originais estão emprestadas à Casa de Anne Frank, museu situado no prédio do esconderijo, onde também há réplicas do diário.


++Saiba mais sobre a Anne Frank através de grandes obras disponíveis na Amazon

Os Sete Últimos Meses de Anne Frank, de Willy Lindwer (Ebook) - https://amzn.to/2CkVxVt

O diário de Anne Frank, de Anne Frank (1995) - https://amzn.to/2JR6kqQ

Anne Frank: Obra reunida, de Anne Frank (2019) - https://amzn.to/3c2DPCU

O diário de Anne Frank em quadrinhos, de Ari Folman e David Polonsky (2017) - https://amzn.to/2VbgbgC

Tudo sobre Anne, de Casa de Anne Frank (2019) - https://amzn.to/39V3QSU

Anne Frank ― A biografia ilustrada, de Sid Jacobson (2017) - https://amzn.to/3aVlszl

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W