Curiosidades » Curiosidade

Casamento às cegas pelo mundo

Conheça as religiões que usam desse método na hora de dizer o sim

Paola Churchill Publicado em 09/03/2020, às 17h00

Os preparativos da noiva indiana antes da cerimônia
Os preparativos da noiva indiana antes da cerimônia - Wikimedia Commons

Desde os tempos antigos, muitas  religiões adotam o casamento às cegas. Nesse tipo de casório, são os líderes da comunidade, casamenteiros profissionais ou os próprios pais que realizam as escolhas de parceiro para o jovem, sempre levando em conta as tradições que as famílias seguem. 

Conheça quais culturas ainda usam dessa tradição:

Casal que se conhecem momentos antes da união, é algo comum na Índia/ Wikimedia Commons 

 

1. Cultura Indiana

A cultura Hindu, não pensa apenas na união do casal, mas na junção de ambas as famílias. Porém, a vontade dos jovens é ouvida e levada em conta. Na índia, a cerimônia tem como objetivo unir pessoas das mesmas classes sociais, as famosas Castas. Os pais checam detalhadamente as finanças e a educação dos jovens. Atualmente, 95% dos casamentos indianos são arranjados.

Esse tipo de tradição também acontece no Pasquistão, geralmente coordenado pelo pai da noiva, porém, de acordo com a lei islâmica, todos os casamentos devem ser consensuais.

No Islã, as decisões dos jovens são levadas em conta na hora de dizer "sim"/ Wikimedia Commons 

 

2. Cultura Islâmica

Neste caso, o casamento é formado por uma união voluntária, portanto, necessita do consentimento do casal. Os parantes procuram potenciais candidatos, levando em conta a personalidade, questão financeira, educação e beleza. Tudo isso para que a compatilidade de ambos seja grande. Seguindo os conceitos do Islã, mulheres e homens  não podem ficar no mesmo ambiente sozinhos, todos os encontros acontecem dentro do ambiente familiar e é proibido contato fisíco. Após se verem várias vezes, os dois decidem se querem selar a relação ou não, e as famílias começam os preparativos.

Os preparativos para um casamento no Japão/ Wikimedia Commons 

 

3. Leste Asiático

Na China, Taiwan, Japão e Coreia, a prática vem sendo usada com menos frequência desde o século 20. Nos dias atuais, o método é usado nas áreas mais afastadas rurais e de renda mais baixa. Esses países levam em conta continuar com a linhagem e não os desejos pessoais dos envolvidos. O casamento só ocorre após a aprovação de ambos os pais, e os arranjos são feitos pelas famílias, não pelos noivos.

Noiva sendo levada pelos pais no casamento judaíco/ Wikimedia Commons

 

4. Cultura Judaíca 

No judaísmo o casamento é baseado no amor, portanto, os futuros casais têm que pelo menos conhecerem-se antes do casório. Nas comunidades, existe um sistema para unir os solteiros. O namoro começa após a família e os amigos conhecerem o possível eleito e ver se ele é digno para a união. Alguns membros também tem a opção de contratar casamenteiros para ajudar no processo.


+Saiba mais sobre o tema com as obras abaixo:

Convidados ao banquete nupcial: Uma leitura de parábolas nos evangelhos e na tradição judaica (2014) - https://amzn.to/2Q0MfSJ

História da Índia eBook Kindle - https://amzn.to/2TRz4o3

Uma breve história da Ásia eBook Kindle - https://amzn.to/3cDPIQN

Entenda o Islã (Português) (2017) - https://amzn.to/334mqGm

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.