Curiosidades » Personagem

Da perda dos pais a maquiagem excessiva: 5 particularidades sobre Elizabeth I

Elizabeth I entrou na história por ter comandado sozinha uma das maiores potências do mundo no século 16, mas pouco se sabia de sua vida íntima

Caio Tortamano Publicado em 20/08/2020, às 10h24

Elizabeth I em pintura oficial e no filme Duas Rainhas
Elizabeth I em pintura oficial e no filme Duas Rainhas - Wikimedia Commons - Divulgação

Elizabeth I foi a rainha responsável por fortalecer a Inglaterra durante o século 16. Ela liderou o país contra as forças armadas espanholas, mas teve uma infância complicada e chegou a ser presa na Torre de Londres. Apesar de a figura ser muito conhecida, sua intimidade ainda é segredo para muitas pessoas.

Veja abaixo cinco fatos de sua vida íntima.

1. Perda dos pais

Filha do polêmico casal Ana Bolena e o rei Henrique VIII, o monarca ordenou que sua esposa fosse decapitada, o que aconteceu quando Elizabeth tinha apenas 2 anos e oito meses de vida. Acusada de adultério, ela foi executada, e a filha sem mãe se deparou com o seu pai casando uma semana depois com a dama de companhia da falecida Ana, Jane Seymour.

Bolena ao lado de Henrique VIII e o filho / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em 1547, Henrique faleceu, quando a garota tinha 13 anos de idade. Seu irmão mais novo, Eduardo, se tornou rei, e passou a morar com a família de sua madrasta, Catherine Parr.

2. Decapitação da prima

Rainha da Escócia aos seis anos de idade, Maria Stuart, aos 18 anos foi forçada a abdicar o trono, tendo que se refugiar na Inglaterra com a prima, Elizabeth. Stuart, porém, viveu mais como uma prisioneira, já que a monarca enxergava com desconfiança a chegada da parente. Isso só piorou depois que uma conspiração armada por traidores visava tirar Elizabeth para colocar Maria em seu lugar. 

A prima de Elizabeth, Maria Stuart / Crédito: Library of Congress, EUA

 

A monarca considerou a prima culpada pela traição — o que, aparentemente, se provou verdade por meio de cartas encontradas em seus aposentos. Maria foi executada apenas de roupas íntimas na frente de uma multidão, foram necessárias três machadadas para decapitar a jovem conspiracionista.

3. Acusação macabra

Amy Robsart foi encontrada morta aos 28 anos de idade. A mulher era casada com Robert Dudley, conde próximo de Elizabeth I, e oposicionistas a rainha enxergavam a amizade como o possível motivo para um possível "assassinato".

Retrato de Amy Robsart (à esq.) e Robert Dubley (à dir.) / Crédito: Wikimedia Commons

 

Apesar de ter gerado rumores na corte britânica, não foi motivo para muito incômodo, já que Elizabeth tinha bastante controle de seu círculo político — algo raro na época. O relatório médico da morte de Robsart apontou uma possível queda acidental como compatível para a morte — a mulher reclamava de dor nos seios, provavelmente causadas por um câncer de mama, que causou dificuldade para descer as longas escadas da mansão que morava. Infelizmente, não sobreviveu ao episódio.

4. Casamento

Elizabeth I nunca chegou a casar ou ter filhos, o que fazia o Parlamento constantemente pressionar a rainha para que se unisse em matrimônio com algum lorde, ameaçando até cortar os fundos reais, caso não se casasse.

Elizabeth não aceitou às vontades dos parlamentares, e argumentou que tinha mais interesse em cuidar do bem-estar do país do que se casar.

5. A maquiagem

Elizabeth I, uma das mais importantes monarcas da Inglaterra, tinha uma preocupação extrema com sua aparência e com a imagem que passaria aos seus súditos. Ela era conhecida por sempre vestir roupas coloridas, usar uma peruca vermelha e obrigar as outras funcionárias do palácio a apenas usar vestes de cores brancas ou pretas.

Retrato de Elizabeth I e a atriz Margot Robbie como a rainha em filme / Crédito: Divulgação

 

Além desses traços, utilizava uma forte maquiagem branca no rosto. Longe de ter sido uma escolha. Era uma tentativa de esconder as consequências de uma varíola severa que a acometeu. Quando se recuperou, acabou tendo diversas erupções em sua pele, com pequenas bolhas que, ao sair, deixavam cicatrizes. Por conta de sua preocupação com a aparência e constantes reuniões e aparições públicas, adotou a face branca como marca registrada.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Elizabeth I: Uma biografia, de Lisa Hilton (2016) - https://amzn.to/380aB5O

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, de Margaret George (2012) - https://amzn.to/31rY2xT

A Real Elizabeth, de Andrew Marr (2013) - https://amzn.to/2OwlAfI

Elizabeth I (Edição Inglês), de Anne Somerset (2003) - https://amzn.to/2v31hj3

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W