Curiosidades » Personagem

Da Renascença a Era de Ouro de Hollywood: 5 casos de estupro em períodos diferentes da História

Ao longo da história, mulheres foram violentadas e, mesmo que denunciassem, muitas vezes não recebiam justiça

Isabela Barreiros Publicado em 04/11/2020, às 18h00

Patricia Douglas, a primeira atriz a denunciar um estupro em Hollywood
Patricia Douglas, a primeira atriz a denunciar um estupro em Hollywood - Divulgação

Detalhes do julgamento do caso Mari Ferrer vieram à tona ontem, 4, e chocaram o Brasil. André Camargo de Aranha foi acusado pela promotora de festas e influenciadora digital de tê-la estuprado durante uma festa realizada na casa noturna Café de la Musique, em Jurerê Internacional, Santa Catarina, em 2018.

A decisão foi tomada pelo juiz Rudson Marcos: Aranha foi absolvido pois, segundo publicado pelo The Intercept Brasil, ele não teria como saber que a jovem estava incapacitada de consentir ao ato sexual. 

Ao longo da história, muitos foram os casos de estupro que causaram enorme indignação. Seja em 1611 ou em 2018, é possível perceber que isso continua acontecendo e trazendo um enorme sofrimento para mulheres.

Pensando nisso, o site Aventuras na História separou 5 casos de estupro que aconteceram em diferentes períodos históricos.

Confira a seguir.

1. Artemisia Gentileschi

Crédito: Wikimedia Commons

 

Artemisia Gentileschifoi uma das primeiras mulheres a ingressar na Academia de Belas Artes de Florença, Itália. Por ela, passaram muitos artistas importantes, como Michelângelo. Assim já dá para perceber o talento e importância da pintora, que nasceu em 1593, em Roma e já era apaixonada por arte desde cedo.

No entanto, seu nome apenas ficaria conhecido devido ao estupro sofrido pela artista em 1611, aos 18 anos de idade. Agostino Tassi, amigo íntimo de seu pai, abusou da  moça durante sua hospedagem na casa da família da jovem. O momento traumático se tornou tema de muitas de suas obras, como a pintura Judith decapitando Holofernes.

Tassi foi condenado à um ano de prisão depois do julgamento. No entanto, a condenação foi revista e ele partiu em exílio sem cumprir pena.


2. Patricia Douglas

Crédito: Divulgação

 

Em 1937, Patricia Douglas se tornou a primeira mulher a acusar um famoso empresário de Hollywood de estupro. A atriz foi chamada para uma audição pela Metro-Goldwyn-Mayer. Todavia, o que ela e outras mulheres não pensavam era que receberiam fantasias minúsculas e ganhariam menos de 10 dólares para animar homens ricos em uma festa regada à álcool.

David Ross, um dos empresários, tentou dançar com Douglas e, quando percebeu que a jovem não estava interessada em suas investidas, embebedou-a à força e a jogou em um carro, onde a estuprou. Quando foi levada ao hospital, um médico contrariou a afirmação da moça e a enviou para casa. 

A atriz, porém, não desistiu: ela prestou uma queixa contra Ross e tentou denunciar o estupro na mídia inúmeras vezes. O julgamento, porém, não deu em nada e a justiça nunca foi feita.


3. Samantha Gailey

Samantha Gailey hoje em dia / Crédito: Getty Images

 

Não foi a primeira nem última vez que homens importantes de Hollywood cometeram esse crime. Anos depois, em março de 1977, Roman Polanski abusou Samantha Gailey, na época com apenas 13 anos, durante um trabalho que ela fez como modelo em Los Angeles para a revista Vogue da França.

O diretor pediu que ela ficasse de topless. Depois disso, serviu champanhe para Gailey, com um sedativo, e a estuprou. O caso chocante terminou nos tribunais, mas o roteirista permaneceu na prisão por alguns dias e, em outros momentos, meses, durante períodos distintos.

O histórico de abusos de Polanski, porém, não terminou ali. Nas últimas décadas, ele foi acusado de estupro por pelo menos mais três mulheres.


4. Lorena Bobbitt

Crédito: Getty Images

 

Embora muitos casos de estupro possam parar nos tribunais, não significa que a decisão tomada ali será feita em prol da vítima e que haverá consequências para o responsável. Em 1993, o casal Lorena e John Bobbitt tomou as manchetes dos Estados Unidos depois de a mulher castrado o homem após ter sido estuprada por ele.

Vítima de violência doméstica e constantes abusos sexuais, Lorena não teve o caso julgado propriamente. No juri, a advogada da mulher questionou: “o que é mais valioso para os senhores? Um pênis ou uma vida?”. O fato de ela ter cortado o pênis do marido fora ficou muito mais em evidência do que as violências cometidas por ele.

Por isso, a reconstrução feita no órgão genital de John ficou muito famosa, levando-o até mesmo a atuar em filmes pornográficos. O resultado do julgamento, no entanto, não chegou a gerar consequências reais na vida dos dois.


5. Jyoti Singh Pandey

Crédito: Divulgação

 

Esse é o caso mais recente da lista. Em 2012, um crime cometido em Delhi, na Índia, chocou o mundo: Jyoti Singh, de 23 anos, foi espancada e estuprada por pelo menos seis pessoas em um ônibus, enquanto viajava com seu amigo. O estupro coletivo terminou na morte da jovem, que faleceu quase duas semanas depois da violação.

O caso ganhou relevância internacional, fazendo com que a indignação fosse sentida ao redor do mundo. Com isso, um julgamento muito rápido foi realizado, que resultou na condenação de todos os envolvidos no crime. Eles foram presos por agressão sexual e assassinato.