Curiosidades » Curiosidades

De Hitler a Stalin: Descubra os hábitos alimentares bizarros de 6 ditadores

Jantar com alguns desses tiranos poderia ser considerado uma experiência um tanto quanto traumática

Fabio Previdelli Publicado em 05/01/2020, às 09h00

Uma das raras imagens de Adolf Hitler antes da Segunda Guerra
Uma das raras imagens de Adolf Hitler antes da Segunda Guerra - Wikimedia Commons

Quando uma pessoa faz uma refeição farta e sofisticada, muitos dizem que ela ‘comeu como um rei’. Mas no livro Dictator’s Dinners – A Bad Taste Guide to Entertaining Tyrants (em tradução livre, O Jantar do Ditador -  Um Guia de Mau Gosto para Entreter Tiranos), as experientes jornalistas britânicas Victoria Clarke e Melissa Scott, podem fazer você ter uma nova perspectiva dessa frase.

Na obra elas revelaram os pratos preferidos de alguns dos nomes mais cruéis do mundo. As autoras descrevem o exemplar como uma “mistura de história, álbum de fotos e livro de receitas”, pois revelam com detalhes os alimentos que sustentavam os tiranos.

1. Joseph Stalin

Jantar com o comunista russo poderia ser considerado como uma experiência um tanto quanto diferente: era comum acontecer um jogo de bebidas, guerra de comidas e cantorias e danças e outras brincadeiras que duravam mais de seis horas.

Crédito: Reprodução / Klimbim

 

Porém, se engana quem pensa que os momentos eram sempre alegres. Em muitas ocasiões Stalin aproveitava o momento para humilhar seus empregados. Cantar e dançar não eram uma expressão de alegria, mas sim um ato obrigatório.

Além disso, seus convidados bebiam embaixo da mesa, para provar a superioridade do líder. Já o cardápio era influenciado pelas raízes georgianas, com alimentos como nozes, alho, ameixa e romã.


2. Adolph Hitler

Clark e Scott revelam que, embora Hitler tivesse mais compaixão pelos animais do que pelas pessoas, ele não era um vegetariano dedicado. Evidencias mostram que ele comeu pratos como pomba e fígado. A carne de pássaro, inclusive, era uma de suas prediletas, ainda mais com o recheio de língua e pistaches.

Crédito: Wikimedia Commons

 

Dione Lucas, chef britânico confirmou a preferência do líder por uma iguaria mais comum por todos: “não pretendo estragar seu apetite por pães recheados, mas você pode estar interessado em saber que esse foi um dos grandes favoritos de Hitler”.

Apesar do prazer em comer, o líder tinha certas precauções antes de se alimentar. Suas refeições eram provadas por 15 pessoas antes dele realizar a refeição. Os provadores de comidas garantiam que seu banquete fosse seguro: “somente depois de um período de 45 minutos que um prato fosse provado, o mesmo era levado para a mesa de Hitler”, explicam as autoras.

O livro também cita que um dos profissionais ficou impressionado com a qualidade da comida do Führer. Ela disse: “Havia aspargos frescos com molho holandês, caldo de legumes com bolinhos de sêmola, pimenta vermelha assada, arroz, saladas e ensopado de legumes”.


3. Benito Mussolini

O ditador Benito Mussolini seguia uma dieta italiana. Segundo o livro, ele disse uma vez que “a culinária francesa não tinha valor e a italiana era a melhor do mundo”. Mas apesar da preferência declarada, Benito não era muito fã de macarrão e pizza.

Crédito: Divulgação

 

Um de seus pratos favoritos era uma salada feita à base de alho cru, temperada com azeite e limão. As jornalistas revelaram que o período de horror de Mussolini poderia ter terminado bem antes de 1945 se ele não tivesse feito mudanças em sua dieta.

Elas explicam que ele foi diagnosticado com problemas no fígado e altas taxas de açúcar no sangue, mas “uma dieta revisada que incluía carne de coelho e de frango trouxe uma melhora surpreendente a sua saúde”.


4. Saddam Hussein

Peixe era o prato preferido do líder iraquiano, que governou com mão de ferro o país entre 1979 e 2006. A obra revela que ele poderia comer a qualquer hora do dia e adorava os alimentos mais frescos possíveis.

Elas afirmam: “Ocasionalmente ele acordava sua equipe de cozinha às cinco ou seis horas da manhã para grelhar um peixe que acabara de pegar”. As refeições do mandatário eram feitas simultaneamente em suas 12 residências, pois nunca se sabia em qual delas ele estaria.

Sua atitude assassina e insensível era aparente enquanto ele se alimentava: “uma vez, enquanto mastigava azeitonas, disse a seu ex-chefe de inteligência que estava cuspindo os caroços da maneira que um dia cuspiria os israelenses do Oriente Médio’”.


5. Muammar Kadhafi

Vaidoso, o governante líbio tinha uma arma secreta para garantir que sempre tivesse um sorriso branco e perolado: leite de camelo. O laticínio aumentou a brancura brilhante de seus dentes, mas ao mesmo tempo lhe causou estragos na digestão – ele sofria de flatulência incontrolável.  

Kadafi em um jantar / Crédito: Divulgação

 

Uma de suas refeições favoritas era um prato de seu país de origem – carne de camelo com cuscuz -, ele também gostava de comida italiana, apesar de ter banido os italianos da Líbia.


6. Kim Jong-Il

O livro revelou que o ex-líder da Coreia do Norte era tão meticuloso quanto cruel. “Centenas de pessoas sem sorte foram recrutadas para o projeto de preservar sua saúde e vigor por meio de sua dieta. Um pequeno exército de mulheres foram empregadas para ver todos os grãos de arroz destinados ao seu prato, que teriam que ser uniformes em tamanho, forma e cor”.

Crédito: Divulgação

 

“Em seguida, ele tinha que ser cozido em fogo usando apenas árvores cortadas de um pico de montanha perto da fronteira chinesa”. Ele também adorava sushi e já foi relatado que “gostava de peixe cru tão fresco que podia começar a comê-lo quando a ‘boca ainda estava ofegante e a cauda ainda se debatendo”.

O livro, que faz sucesso internacional, corrobora com o ditado moderno que diz “você é o que você come”. Afinal, poucas coisas dizem tanto sobre uma pessoa como quem elas recebem na intimidade de sua casa ou o que elas colocam em seus pratos.


+Saiba mais sobre alguns dos tiranos citados na lista 

A mente de Adolf Hitler: O relatório secreto que investigou a psique do líder da Alemanha nazista, Walter C. Langer, 2018 - https://amzn.to/2qCL8i5

Os fornos de Hitler: A história de uma sobrevivente de Auschwitz, Olga Lengyel, 2018 - https://amzn.to/2XdpXj3

Mussolini e a Itália fascista, Martin Blinkhorn, 1984 - https://amzn.to/35rr817

Fascismo, Benito e Leon Mussolini e Trótski, 2019 - https://amzn.to/2XxdKpt

O Livro Verde: A Terceira Teoria Universal, Muammar al-Gaddafi, 2012 - https://amzn.to/32tFKvP

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.