Curiosidades » Estados Unidos

À deriva com tubarões: 5 curiosidades sobre a desventura do casal Brad Cavanagh e Deborah Kiley

Vivendo momentos de pânico e horror, os americanos sobreviveram para contar sua história para o mundo

Alana Sousa Publicado em 31/08/2020, às 18h00

Poster do filme Two Came Back (1997) que conta a história do naufrágio
Poster do filme Two Came Back (1997) que conta a história do naufrágio - Divulgação/ American Broadcasting Company

“Eu sempre tento encontrar algo bom nas coisas ruins que acontecem comigo. Nunca há um dia em que você seja mais grato pela vida do que no dia em que quase morre". Assim descreveu Deborah Kiley sua traumática experiência pra uma série da Discovery Channel. A mulher e mais quatro colegas passaram por momentos inacreditáveis em alto mar — e só dois deles voltaram com vida.

Confira abaixo algumas curiosidades sobre essa história de medo, trauma e superação.

1. Proposta tentadora

No ano de 1982, a navegante Deborah Scaling Kiley recebeu uma proposta quase irrecusável. Ela se viu de cara com a oportunidade de fazer uma viagem inesquecível em um iate milionário. Por seu amor pelo oceano, a marinheira aceitou a oferta.

Brad Cavanagh e Deborah Kiley, quando foram resgatados / Crédito: Divulgação

 

Junto de Kiley, foram mais quatro pessoas: o capitão John Lippoth, sua namorada Meg Mooney, e dois homens: Brad Cavanagh e Mark Adams. A embarcação saiu de Maine e percorreu uma rota até a Flórida.


2. Do paraíso ao inferno

A partida foi calma, todos estavam certos de que a viagem seria uma experiência inesquecível. E de fato foi, mas pelos motivos mais sombrios. Nos primeiros dias o mar estava sereno e o céu ensolarado, no entanto, no terceiro dia, uma tempestade começou a se formar, e enfim, veio a chuva violenta.

Não só o clima natural era o problema, no barco, John Lippoth e Mark Adams começaram a brigar e beber muito. Os outros três viajantes tentavam controlar o navio a todo custo. Quando chegou a vez de Brad e Deborah descansarem, gritos desesperados os acordaram no meio da madrugada.


3. Naufrágio e pânico

Durante a noite, a embarcação começou a afundar, isso, pois, John e Mark queriam voltar a dormir e fizeram uma amarração provisória no leme, que causou o terrível incidente. Todos tentavam rapidamente se salvar, mas o barco salva-vidas havia sido levado pelas águas. Até que, de repente, um bote inflável foi encontrado e os cinco tripulantes entraram nele.

Deborah Kiley / Crédito: Divulgação / Discovery Channel 

 

Meg Mooney já estava machucada no bote, ela tinha batido a perna com muita força e a ferida quase expunha seu osso para fora. Na série de 2005 do Discovery Channel, I Shouldn't Be Alive (Sobrevivi, no Brasil), Deborah relatou que sabia que a colega “estava com muita dor”.


4. À deriva com tubarões

Com o iate milionário no fundo do oceano, os cinco passageiros estavam em uma situação deplorável no pequeno bote. Meg, já não falava e sangrava muito, o que alertou enormes tubarões brancos para a presença dos humanos no mar. Por dias, os animais rondaram o barco, famintos.

Os homens beberam água salgada, o que acelerou o processo de desidratação, abrindo espaço para alucinações. Foi em um desses episódios que John, afirmando ver terra firme, pulou do bote e nadou, até que foi engolido pelos tubarões, deixando apenas um rastro de sangue na água.

Brad Cavanagh / Crédito: Divulgação / Discovery Channel 

 

Mark também saiu do bote e se jogou na água, em pouco tempo, os colegas sentiram um ataque embaixo do barco. Eles sabiam que era o fim de Adams. Deborah relata este como sendo “o momento mais horrível de toda a minha vida”.


5. Uma ideia macabra e o resgate

No quinto dia a deriva no mar, Meg veio a óbito; sobrando apenas Brad Cavanagh e Deborah Kiley ainda com vida. Foi quando a ideia de canibalismo passou pela mente do casal. Entretanto, vendo a situação do cadáver, eles não foram à diante, e ao invés de se alimentarem do corpo da colega, fizeram um breve funeral e jogaram seus restos mortais no oceano.

Mais tarde naquele dia, Deborah e Brad quase não acreditaram quando um navio de carga se aproximou do horizonte. Ambos fizeram sinais para que pudessem ser vistos e foram resgatados.

Deborah Scaling Kiley, na época do incidente / Crédito: Wikimedia Commons 

 

O futuro foi marcado pelas lembranças da tragédia, mas nem isso se mostrou um obstáculo para Brad, que se tornou um capitão de barco e por muitas vezes passou pelo mesmo local em que quase perdeu a vida. Já Deborah tornou-se palestrante motivacional. Em 1994 escreveu o livro Albatroz: A verdadeira história da sobrevivência de uma mulher no mar, e passou o resto da vida agradecendo por estar viva, até sua morte em 2012.


+ Saiba mais sobre tragédias através de grandes obras disponíveis na Amazon:

A Vida Do Ives Ota - O Mensageiro Da Paz, de Ota Iolanda Keiko (1999) - https://amzn.to/3cf2qEQ

Suzane: assassina e manipuladora, de Ullisses Campbell (2020) - https://amzn.to/2WFlLso

Titanic: Minuto a Minuto, Jonathan Mayo (2017) - https://amzn.to/35HRGuU

Titanic - A história completa, Philippe Masson (2011) - https://amzn.to/35IXULh

Os Crimes Mais Cruéis do Brasil: Conheça os casos que mais chocaram o país, de Editora O Curioso (Ebook) - https://amzn.to/2SNqdnI

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W