Curiosidades » Curiosidades

Dia Internacional da Visibilidade Trans: Conheça 5 nomes importantes na História

De Marsha P. Johnson a Laverne Cox, entenda a importância e o legado dessas pessoas no movimento

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 31/03/2021, às 18h54 - Atualizado às 19h06

Marsha P. Johnson, ativista LGBT
Marsha P. Johnson, ativista LGBT - Divulgação/Netflix

Em janeiro, o dossiê da Associação Nacional das Travestis e Transexuais (Antra), revelou que o Brasil continua sendo o país que mais mata pessoas transgênero no mundo. Ocupando a primeira posição, o país registrou 175 assassinatos de pessoas trans apenas em 2020.

No dia 31 de março, celebra-se o Dia Internacional da Visibilidade Trans, com o intuito de mostrar a importância dessas pessoas e gerar conscientização sobre sua visibilidade em todo o mundo. 

A Aventuras na História separou 5 nomes de pessoas trans que foram e continuam sendo importantes para a história do movimento. Confira!

1. Marsha P. Johnson

Cena do documentário A Morte e a Vida de Marsha P. Johnson (2017) / Crédito: Divulgação/Netflix

 

Mulher negra transgênero, trabalhadora sexual e drag queen, Marsha P. Johnson foi uma das figuras mais importantes da Revolta de Stonewall, que aconteceu nos Estados Unidos em 1969. Frequentado por pessoas LGBT, o bar sofreu com uma represália de um grupo de policiais, o que gerou uma rebelião e entrou para a história.

Além de sua participação nos motins, Johnson também fundou o STAR (Street Travestite Action Revolutionaries), uma organização que tinha como objetivo apoiar jovens transexuais e homossexuais que haviam sido expulsos de casa.


2. Christine Jorgensen

Christine  / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Nos Estados Unidos, nos anos 1950, Christine Jorgensen ficou famosa por detalhar seu processo de redesignação sexual ao New York Daily News, jornal do qual se tornou capa na época. A partir de sua exposição ao público, mais pessoas puderam entender a transexualidade e inclusive passar pelo mesmo procedimento.

Ela inclusive chegou a ser eleita a "Mulher do Ano" em 1954, em uma época em que pessoas trans viviam em um contexto ainda mais difícil que o de hoje. Com uma cirurgia considerada bem sucedida, ela demonstrou ao público em geral que era possível que tal procedimento fosse realizado.


3. Brandon Teena 

Crédito: Divulgação

 

Em 1993, nos Estados Unidos, Brandon Teena foi assassinado por ser um homem trans. Ao se mudar de sua cidade natal e se envolver com pessoas que não sabiam de sua transição, Teena foi preso por fraudar cheques, mas colocado na ala feminina. Quando seu grupo de ‘amigos’ descobriu, o espancaram e estupraram.

Pouco tempo depois, ele foi assassinado pelo mesmo grupo. O filme Boys Don't Cry (1999), protagonizado por Hilary Swank, que ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 2000, e o documentário Brandon Teena Story foram inspirados pela tragédia e expõem a transfobia enfrentada até hoje ao redor do mundo.


4. Rebeca Close

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Roberta Close Fãs (@robertaclosefans)

 

Rebeca Close é uma das pessoas trans mais conhecidas do Brasil, que passou por um longo processo para conseguir alterar seu nome e gênero legalmente apenas em 2005. Ela se tornou famosa no país principalmente após estampar uma capa da revista Playboy, em que posou nua.

Como modelo, desfilou para inúmeras grifes importantes e internacionais, inclusive para o estilista francês Jean Paul Gaultier. Em um período ainda mais conturbado para pessoas trans, Close fez cirurgia de redesignação sexual em 1989, na Inglaterra, gerando polêmica ao retornar para o Brasil.


5. Laverne Cox 

Crédito: Wikimedia Commons

 

Uma das mais importantes atrizes trans da atualidade, Laverne Cox foi a primeira transexual a ser indicada ao Emmy, tendo seu nome na categoria Melhor atriz convidada numa série de comédia pela série Orange Is the New Black, onde interpreta Sophia Burset, uma personagem trans.

Além de atuar como atriz e produtora de televisão, a estadunidense também é ativista pelos direitos de pessoas trans. Ela participou da produção do documentário Revelação (Disclosure), lançado em 2020, que investiga a representação de pessoas trans em produções hollywoodianas.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Lili: A Portrait of the First Sex Change, editado por Niels Hoyer (eBook) (2015) - https://amzn.to/2U2Jtie

The Danish Girl, de David Ebershoff (2000) - https://amzn.to/2vwoN8F

Magnus Hirschfeld and the Quest for Sexual Freedom, de E. Mancini (2013) - https://amzn.to/2W1GSq8

A Transexualidade Sob a Ótica dos Direitos Humanos, de Inajara Piedade da Silva (2017) - https://amzn.to/2TVfJlV

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W