Curiosidades » Bizarro

Do Krampus ao presépio incomum: 5 tradições natalinas tétricas ao redor do mundo

Muitas tradições ao redor do mundo escapam do imaginário de qualquer brasileiro

Izabel Duva Rapoport Publicado em 12/12/2020, às 09h00

Cena do filme Krampus (2015)
Cena do filme Krampus (2015) - Divulgação/Universal Pictures

Entra ano, sai ano, continuamos nos sentando à mesa para celebrar o Natal, como faziam nossos pais, avôs e bisavôs. É um ritual nascido há séculos, provavelmente nas igrejas europeias, que passaram a reunir os fiéis.

O intuito era confraternizar e programar o futuro e isso também não mudou. Só o cardápio foi se alterando e ganhando novas interpretações em cada país. Contudo, muitos países adotaram tradições que escapam completamente do espiríto natalino que estamos acostumados.

Pensando nisso, a Aventuras na História decidiu separar algumas tradições que chamam atenção ao redor do mundo. Confira abaixo!

1. Tradição pagã

Em 5 de dezembro, véspera do Dia de São Nicolau, homens se vestem como o Krampus, uma figura chifruda com cascos e pernas de bode, e saem às ruas da Áustria para assustar as crianças que se comportaram mal no ano.

Para acalmá-lo, é preciso oferecer schnapps, uma aguardente da região. Acredita-se
que Krampus era um deus pagão celebrado no solstício de inverno e incorporado ao Natal no século 17, contra a vontade da Igreja. A tradição, proibida em 1923, voltou no fim do século e segue até hoje.

2. Natal tétrico

O esqueleto de um cavalo decorado com bolas de vidro e pano faz parte da diversão
natalina dos galeses. Com esta figura à frente, homens cantam e pedem para entrar nas casas para comer, beber e aterrorizar as famílias.

A curiosa figura /Crédito - Wikimedia Commons - RW.

 

Nesta hora, as mandíbulas da caveira “riem” e estalam os dentes, revivendo uma tradição cuja origem vem da deusa celta Epona, protetora dos cavalos e da fertilidade.

3. Regata das bruxas

Em Veneza, na Itália, a famosa bruxa folclórica Befana – que deixa doces em meias para crianças na Noite de Reis (5 de janeiro) ou carvão para as malcomportadas – ganha uma série de representantes que disputam, entre eles, uma corrida de barcos pelo canal.

Diz a lenda que, após perder seu filho, ela visitou Jesus na manjedoura e foi abençoada como a mãe de todos os italianos.

4. Número 2

Nos presépios da Catalunha, na Espanha, é comum encontrar o caganer – um bonequinho que defeca num canto, geralmente longe do menino Jesus. Apesar do tom escatológico, o significado disso é bonito: remete à fertilização do solo para o próximo Natal.

Alguns dos famosos caganer /Crédito - Getty Images

 

Com o tempo, surgiram caganers da cultura pop, como celebridades, políticos e até intelectuais, como Albert Einstein.

5. Blackface

Na Holanda, Papai Noel chama-se Sinterklass, abreviação de Sint Niklass, São Nicolau. E se veste como bispo. Já seu ajudante, que o acompanha na entrega dos presentes, é chamado de Zwarte Piet (Pedro Negro), sendo encarnado por homens brancos que pintam a cara de preto e os lábios de vermelho – motivo de polêmica no país e de protestos contra o racismo e pelo fim da 'tradição'.