Curiosidades » Roma Antiga

Do maior tesouro a uma cidade inteira: 5 descobertas arqueológicas impressionantes da Roma Antiga

Os romanos nos deixaram inúmeros artefatos e instalações importantes, que estão sendo localizados há anos por arqueólogos

Isabela Barreiros Publicado em 14/10/2020, às 16h13

O Tesouro de Hoxne, maior descoberta da Roma Antiga
O Tesouro de Hoxne, maior descoberta da Roma Antiga - Wikimedia Commons

Ao longo dos anos, arqueólogos foram responsáveis por escavar inúmeras descobertas arqueológicas importantes que os ajudaram a entender mais sobre o período da Roma Antiga, que foi estabelecida entre os anos de 753 a.C. e 476 d.C.. 

Durante esse período, os romanos desenvolveram inúmeros artefatos, fábricas, fortalezas e chegaram a erguer cidades inteiras do zero. Muitos dos objetos encontrados posteriormente tornaram-se verdadeiros tesouros do período que marcou a história do mundo como um todo. 

Separamos 5 descobertas arqueológicas impressionantes da Roma Antiga, confira!

1. O maior tesouro do Império Romano

Crédito: Wikimedia Commons

 

Uma das maiores descobertas já feitas que datam do período da Roma Antiga foi realizada totalmente ao acaso. Em 16 de novembro de 1992, o fazendeiro britânico Peter Whatling havia perdido seu martelo na região em que vivia em Suffolk, na Inglaterra. Ao procurá-lo, acabou se deparando com o maior tesouro do Império Romano já encontrado.

Nomeado como Tesouro de Hoxne, ele consiste em 14.865 moedas romanas de ouro, prata e bronze, mais de 200 itens de talheres de prata e joias de ouro, uma corrente corporal de ouro, pulseiras feitas do mesmo material e inúmeros vasos de pimenta dourados, que são chamados de piperatorias.


2. Uma cidade inteira

Mapa da cidade registrado por meio do radar / Crédito: Divulgação 

 

Em junho deste ano, pesquisadores realizaram uma investigação impressionante que revelou detalhes sobre uma cidade romana soterrada na Idade Média e localizada a cerca de 50 quilômetros de Roma. Devido à tecnologia, foi possível que os arqueólogos analisassem o terreno sem ao mesmo ter que escava-lo. 

O distrito de Falerii Novi foi ocupado pela primeira vez em 241 a.C. e foi abandonada somente em 700 d.C.. A antiga urbe possuía construções muito complexas, como uma rede de tubulações de água, locais para banho e esgoto, além de um mercado e um templo. Além disso, os arqueólogos observaram também a presença de um monumento público no portão norte da cidade.


3. Adaga encontrada em cemitério

O antes e depois da adaga encontrada no cemitério / Crédito: Divulgação/Facebook

 

Durante escavações realizadas em um cemitério em Haltern am See, no noroeste da Alemanha, no começo deste ano, o jovem aprendiz Nico Calman descobriu uma adaga totalmente enferrujada que data do século I d.C., considerado o período do auge do Império Romano. Com 25 centímetros de comprimento, o artefato foi restaurado por uma equipe de especialistas.

A adaga é feita de prata e possui ornamentos, esmalte, vidros vermelhos, as alças de prata e o latão esculpido. Os pesquisadores acreditam que ela foi utilizada por legionários durante o impressionante período e, além dela, também foram encontrados placas de bronze e latão, pedaços de um cinto de couro e uma bainha de madeira e cal com um suporte de barbante.


4. Acesso escondido para fortaleza

Forte encontrado na Holanda / Crédito: Divulgação

 

Essa provavelmente foi uma das descobertas arqueológicas mais notáveis feitas ao longo deste ano. Arqueólogos encontraram um acesso a uma fortaleza, que estava escondido, na cidade de Heerlen, na Holanda. Acredita-se que a construção tenha sido utilizada durante o Império Romano, mais especificamente durante o século 3 d.C.

A fortaleza, feita por paredes de barro, tem um fosso de 11 metros de largura e 3,5 metros de profundidade, contando ainda com uma cobertura no topo, que é possível ter sido desenvolvida para oferecer maior proteção a quem estava dentro dela. Os arqueólogos concluíram também que a estrutura foi usada pelos romanos como defesa contra ataques germânicos.


5. Impressionante fábrica de sal

Crédito: Divulgação/Spalding Today

 

A importância do sal para os romanos é um fato conhecido por quem sabe sobre a história da antiga civilização. A descoberta de como e onde os indivíduos desenvolviam o produto, portanto, revela-se ainda mais impressionante levando em conta a relevância da mercadoria em questão.

Recentemente, arqueólogos realizaram escavações na vila de Pinchbeck, na Inglaterra, que revelaram evidências de uma antiga fábrica de sal na região. Foram identificadas duas valas substanciais, cuja função era transportar o sal, tanques usados para a salmoura e cerâmicas romanas bem preservadas.


+Saiba mais sobre o Império Romano por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Roma: A História De Um Império, de Greg Woolf (2017) - https://amzn.to/2Ys2Un0

SPQR - Uma história da Roma antiga, de Mary Beard (2017) - https://amzn.to/2YlQAot

Declínio e queda do império romano, de Edward Gibbon (2005) - https://amzn.to/2WgIDy9

História de Roma: Da Fundação à Queda do Império, de Indro Montanelli (2017) - https://amzn.to/35o7t34

História de Roma, de Pierre Grimal (2011) - https://amzn.to/2SrcEKl

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W