Curiosidades » Bizarro

Do Megalodon ao tatu gigante: 5 animais gigantes e assustadores do passado

Conheça alguns dos maiores e mais aterrorizantes bichos que já habitaram o planeta Terra

Isabela Barreiros Publicado em 27/08/2020, às 17h11

Ilustração do gigante tubarão Megalodon
Ilustração do gigante tubarão Megalodon - Divulgação

O maior animal que habita o planeta Terra atualmente é a baleia azul, que pode chegar a até 30 metros de comprimento e pesar 180 toneladas. No entanto, quando restringimos nossa análise para apenas o ambiente terrestre, o grandalhão passa a ser o elefante africano, que pode alcançar quatro metros de altura e oito toneladas.

Entre estes animais que vivem apenas em terra firme, mesmo que o elefante possa ser considerado enorme, atualmente não temos exemplos que se comparem aos que habitavam aqui há milhões de anos atrás. De fato, muitos bichos que conhecemos hoje já foram muito maiores do que podemos imaginar.

Conheça cinco animais gigantes que habitaram o planeta Terra no passado:

1. Megalodon

Reconstrução de Bashford Dean em 1909 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Talvez esse seja o animal gigante mais conhecido. Ele até mesmo serviu de inspiração para o filme Megatubarão, lançado em 2018. Mas, embora seja conhecido como o maior tubarão que já existiu no planeta, cientistas ainda não foram capazes de descrever a aparência real do Megalodon — apenas suas mandíbulas e dentes foram encontrados.

Pesquisas supõem que ele viveu há 2,6 milhões de anos, podia chegar a 18 metros de comprimento e tinha uma mordida com cerca de 250 dentes serrilhados. Por mais que isso já seja o suficiente para considerarmos o animal uma das mais poderosas feras que já existiram, ele também foi responsável por um grande impacto ecológico no ecossistema das comunidades marinhas de sua época.

Ossos do Megalodon foram encontrados na Europa, África, Américas e Austrália — uma dominação mundial. É provável que toda essa grandeza tenha levado ao seu próprio fim. Não há uma resposta definitiva para a extinção do tubarão, mas acredita-se que as alterações do clima começaram a acabar com as presas do animal, que precisava de muito alimento para sobreviver.


2. Preguiça-gigante

Ilustração de como seriam as preguiças-gigantes / Crédito: Divulgação/Youtube

 

A preguiça-gigante provavelmente foram a espécie mais interessante que já pisou pela América do Sul. Cientistas assumem que ela chegou ao seu ápice de desenvolvimento entre o Paleogeno e Neogeno, mas que foi extinta há cerca de 15 mil anos. Durante o período em que viveu, no entanto, andou tranquilamente pelo território em que vivemos hoje.

Sim, o animal era muito comum no Brasil. Porém, ele se espalhou por mais países, e em maio deste ano, a cientista Emily Breasey encontrou 22 bichos-preguiça datados de 20 mil atrás no Equador. Os fósseis demonstram que os bichos poderiam chegar a até seis metros de comprimento e pesar tanto quanto os elefantes de hoje em dia.

Além disso, suas pernas e braços chegavam até a extensão impressionante de um metro e meio de comprimento. Eles eram resistentes e bem fortes, mas acabaram trazendo problemas para a locomoção do animal, que tinham bastante dificuldade para andar.


3. Crocodilo

Comparação do tamanho do Purussaurus mirandai com um homem adulto / Créditos: Torsten Scheyer

 

Os crocodilos de hoje em dia já podem ser considerados assustadores, mas não podem ser comparados com os que habitaram a Terra no passado. Em dezembro do ano passado, pesquisadores encontraram um fóssil gigante na Venezuela. Tratava-se do Purussaurus mirandai, um dos maiores membros dos crocodylian.

Acredita-se que ele tenha vivido há mais de seis milhões de anos, pesava três toneladas e tinha aproximadamente o comprimento de um ônibus atual — digamos que por volta dos 15 metros de extensão. Além disso, ele é o único encontrado até hoje que contém uma vértebra extra em seu quadril e ombros na posição vertical.

De acordo com Torsten Scheyer, líder da pesquisa e membro do Instituto Paleontológico de Zurique, o seu gene ainda existe em criaturas modernas. Os fósseis encontrados mostram que as variações ocorridas ao longo da evolução dos animais demoram muito tempo para acontecer, mais do que se acreditava.


4. Pinguim

Comparação entre espécie de pinguim e ser humano / Crédito: Divulgação/DiscOtt

 

Por mais que não chegue nem perto do tamanho dos elefantes modernos, este pinguim pré-histórico é muito grande para os animais da espécie que conhecemos hoje em dia. De fato, o crânio encontrado em novembro do ano passado na Antártida indica que o bicho poderia chegar à altura média de um ser humano: por volta de 1,70 m de altura.

Segundo Carolina Acosta Hospitaleche, pesquisadora do Museu de La Plata, o pinguim viveu há cerca de 35 milhões de anos. Além da cabeça do animal, foram encontrados partes de ossos do pé da antiga espécie. A cientista explicou ainda que ele era capaz de usar seu bico longo para arpar suas presas, atravessando-as.


5. Tatu

Tatu gigante que viveu no Brasil / Crédito: Divulgação/Grupo de Paleontologia da UFSCar

 

O último animal da nossa lista é uma descoberta recente que foi feita no Brasil. Em 2014, pesquisadores encontraram, ao acaso, várias enormes ossadas na Chapada Diamantina, localizada na Bahia. Os restos foram analisados apenas em março deste ano pelo jovem cientista Jorge Felipe Moura de Jesus.

Após inúmeras investigações, concluiu-se que o animal era um tatu gigante que viveu há cerca de 21 mil anos. Ele teria habitado o Brasil durante o período em que uma megafauna era predominante no país, que foi extinta há cerca de 10 mil anos.

Acredita-se que o animal, que ganhou o nome de Holmesina criptae, viveu, tinha 2 metros de comprimento e pesava 200 quilos. Além disso, os especialistas também afirmam que o tatu pré-histórico era herbívoro, alimentando-se apenas de plantas.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras abaixo disponíveis na Amazon:

Paleontologia - Volume 1, de Ismar de Souza Carvalho (2010) - https://amzn.to/34AW7dN

Ascensão e queda dos dinossauros: Uma nova história de um mundo perdido, de Steve Brusatte  (2019) - https://amzn.to/2FMUQG7

The Princeton Field Guide to Dinosaurs 2e: Second Edition (Edição Inglês), de Gregory S. Paul (2016) - https://amzn.to/31sHZBj

Paleontologia de Vertebrados, por Valeria Gallo (2012) - https://amzn.to/3jdRniu

Dinos do Brasil, de Luiz E. Anelli (2018) - https://amzn.to/2YxMUPE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W