Curiosidades » Personagem

Em 1978, o príncipe Charles caia no samba durante o carnaval carioca em sua primeira visita ao Brasil

Ainda solteiro e aos 29 anos, o filho de Elizabeth II soltou o rebolado com Pinah, passista da escola Beija-Flor de Nilópolis

Daniela Bazi Publicado em 24/02/2020, às 15h00

Príncipe Charles no carnaval carioca em 1978
Príncipe Charles no carnaval carioca em 1978 - Getty Images

Dez anos após a primeira visita de um membro da família real britânica ao Brasil, o príncipe Charles desembarcou no país em março de 1978, para uma viagem oficial com duração de nove dias. O herdeiro do trono, de apenas 29 anos na época, ainda estava solteiro e conseguiu aproveitar bastante o que os brasileiros tinham a oferecer. 

Em São Paulo, permaneceu por dois dias, onde quebrou o protocolo de pontualidade ao se atrasar para um de seus compromissos. Ele havia ido para uma balada chamada Hippopotamus, onde curtiu um pouco a noite paulistana e tomou um susto ao cair de um cavalo durante um jogo de pólo — mas o episódio não gerou maiores preocupações. 

No dia 8 de março, desembarcou no Rio de Janeiro, onde conseguiu curtir um pouco do carnaval carioca e gerou uma cena que é relembrada por muitos até os dias atuais. Dois dias após sua chegada, enquanto estava em um evento no Palácio da Cidade, sede da prefeitura, o príncipe dançou com a jovem passista de 18 anos Pinah, da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, que o ensinou alguns passos de samba. 

“Lembro que eu e outras meninas brincávamos para saber quem seria a cinderela da noite. Não esperávamos que ele fosse sambar com a gente. Tinha tanto protocolo, não podia chegar a tantos metros do príncipe. Daí, quando surgiu aquele homenzinho dançando Charleston, nem achei que fosse ele. Achei que fosse o chefe da segurança. Só fui saber que era ele no dia seguinte, quando minha mãe me acordou perguntando o que eu tinha aprontado porque tinha um bando de repórter do mundo inteiro na porta dela”, contou Pinah.

Príncipe Charles aprendendo a sambar com a passista Pinah, da Beija-Flor / Crédito: Getty Images

 

A dançarina, que ainda estava começando sua carreira na época, revelou em 2009 que acreditava no fato de que seu sucesso internacional após o seu encontro com o filho de Elizabeth teria acontecido com uma ajuda involuntária do futuro monarca. "Minha vida mudou da água para o vinho. Fiz trabalhos marcantes na Cisjordânia, no Marrocos, na França e em Mônaco", revelou. 

Charles ainda visitaria o Brasil por mais duas vezes, em 1991, ao lado de sua primeira esposa, a princesa Diana, e a última em 2009, com Camilla Parker Bowles, a Duquesa de Cornualha e sua atual mulher. Na ocasião, o príncipe relembrou o fato de 1978 durante um discurso, onde disse "Eu me lembro de ter dançado uma versão algo rudimentar de samba com uma moça seminua no Rio. Trinta anos depois e antes desta visita, a moça em questão fez contato para propor uma reedição ligeiramente mais comportada do samba. Devo aceitar o desafio?".

Pinah revelou que não havia feito a proposta, mas adoraria dançar com ele novamente. O reencontro, entretanto, acabou não acontecendo. A “Cinderela negra que encantou o príncipe”, como ficou reconhecida pelos meios de comunicação da época, mora atualmente em São Paulo, onde é dona de uma loja de produtos carnavalescos junto com seu marido, o libanês Elias Ayoub.


++ Saiba mais sobre a monarquia britânica através das bras abaixo

Vitória, a rainha: Biografia íntima da mulher que comandou um Império, Julia Baird (2018) - https://amzn.to/2T9uEuc

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, Margaret George (2012) - https://amzn.to/2FBPL08

História concisa da Grã-Bretanha, W. A. Speck (2013) - https://amzn.to/35CrWjh

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.