Curiosidades » Arqueologia

Enigma nórdico: Thor existiu na vida real?

Artefatos ligados ao filho de Odin geram grandes descobertas sobre os povos nórdicos que o adoravam

Vanessa Centamori Publicado em 09/07/2020, às 14h35

Ilustração do deus nórdico Thor/Chris Hemsworth como Thor
Ilustração do deus nórdico Thor/Chris Hemsworth como Thor - Wikimedia Commons/Divulgação/Marvel Studios

Um deus andando na Terra. Assim como os cristãos acreditam que Jesus Cristo viveu entre os humanos, poderia esse ser o caso de Thor, o deus do trovão da mitologia nórdica?

Se ele realmente existiu, não vá logo imaginando o corpo escultural de Chris Hemsworth e os cabelos loiros que o ator exibe nos filmes da Marvel. Esse é apenas um estereótipo para a cor das madeixas dos Vikings.

Claro, pela origem, a arqueologia sabe que esses guerreiros vinham de locais de procedência loira — só que eles se misturavam muito com outras culturas e etnias, que chegavam até a Escandinávia. Por isso, até hoje não se sabe com 100% de certeza como era a aparência desses povos nórdicos. 

No entanto, sabemos que alguns cultuavam o deus Thor. E vários machados dele foram encontrados em sepulturas vikings na Europa Setentrional. Todavia, será que os instrumentos eram realmente usados pelo poderoso filho do deus Odin?

Ilustração de guerreiros vikings /Crédito: Wikimedia Commons 

 

Artefatos misteriosos 

Em 2010, a Revista National Geographic divulgou um estudo feito por arqueólogos da Universidade de Chester, no Reino Unido. A pesquisa foi feita por uma dupla de pesquisadores, Eva Thäte e seu colega, Olle Hemdorff.

Para resolver o mistério da divindade do trovão, eles escavaram dez túmulos e numerosos artefatos viking na Escandinávia e na Islândia, provenientes da Idade do Ferro (cerca de 600 d.C a 1000 d.C). Uma grande surpresa foi quando descobriram inusitados instrumentos de pedra na forma de martelos. 

Amuleto com formato do machado de Thor do Museu Histórico de Estocolmo /Crédito: Wikimedia Commons 

 

Alguns deles eram até 5.000 anos mais velhos do que as sepulturas dos mortos. Todos eram bem pequenos e  arredondados. O que fascinou mais, no entanto, foram os artefatos da Islândia, já que esses não eram comuns por lá, mas sim na região escandinava, isto é, na Dinamarca, na Suécia ou Noruega. 

Logo, Hemdorff acredita que as pessoas, vindo dessas regiões, importaram os martelos de Thor até a Islândia. "Essas pessoas devem ter se esforçado para trazer esses produtos da Noruega, em uma viagem de barco extremamente perigosa", apontou. 

Ainda segundo o pesquisador, não existe explicação racional que justifique o porquê das pessoas enfrentarem essa travessia perigosa. Uma fé no deus Thor pode tê-las mobilizado."Isso mostra que essas pedras tinham um significado muito especial e sugere que essas pessoas eram altamente supersticiosas", disse. 

Com isso, já dá para perceber que o deus do trovão foi somente uma inspiração — e não o dono dos pequenos martelos de pedra. A notícia é desanimadora para os fãs de Thor, mas, a suposição é que o panteão dos deuses dos mitos nórdicos era apenas simbólico. Não há portanto, evidências de que o filho de Odin existiu. 

O machado sempre retorna 

Ainda assim, isso não significa que a arqueologia não mais faça revelações surpreendentes sobre o deus lendário. Graças a ele, muito mais se sabe sobre os povos nórdicos. Em 2016, um estudo feito no sul da Islândia, no vale de Þjórsárdalu, voltou a encontrar amuletos de Thor com a forma de machado. 

Os pesquisadores sabem que a ilha foi ocupada em 874 por noruegueses e outros nórdicos. Além disso, eles viram que os amuletos datavam principalmente dos períodos de introdução do cristianismo naquele território. 

Amuleto para Thor, mas que tem semelhança com cruz cristã /Crédito: Wikimedia Commons 

 

De formato mais parecido com uma cruz, os itens podiam ter não só influência monoteísta, mas o mais interessante — eram uma forma dos crentes em Thor ainda mostrarem terem orgulho das lendas nórdicas, conforme resistiam à entrada da religião cristã. 

Aqueles que acreditavam nos deuses nórdicos defendiam que o machado de Thor era mágico e que ele sempre retornava quando arremessado. Como os amuletos dos pagãos era maneira de resistir, ironicamente, é como se a religião também voltasse para eles, como fazia o machado. 

O instrumento de Thor se chamava Mjölnir e era uma arma temível, capaz de mover montanhas. Os trovões, na mitologia, seriam o deus usando o instrumento. Para honrar essa ideia, os fiéis fabricavam os amuletos, acreditando que eles teriam também propriedades flamejantes. As pedras tinham bordas lascadas, como "prova" de que caíram do céu.

Visto isso, os arqueólogos jamais encontraram magia de verdade, mas pensamentos mágicos e fascinantes. "A missão de Thor era proteger deuses e pessoas contra o mal e o caos", disse Hemdorff, em um comunicado. "Acreditava-se, portanto, que as rochas de Thor protegiam casas e pessoas".


+Saiba mais sobre a mitologia nórdica através de obras da Amazon:

Thor - O Carniceiro dos Deuses, Jason Aaron, 2015 - https://amzn.to/3gFuPFZ

Mitologia Nórdica - Edição de Luxo, Neil Gaiman, 2018 - https://amzn.to/2OmQuH3

Dicionários de Mitologia Nórdica e História e Cultura da Era Viking - Caixa, Vários Autores, 2018 -https://amzn.to/2CkxR3H

Dicionário de mitologia nórdica, Johnni Langer, 2013 - https://amzn.to/38Jig9G

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W