Curiosidades » Personagem

Um episódio triste em Nova York: 5 fatos sobre Evelyn McHale

Em 1947, a jovem protagonizou um momento emblemático que é discutido até hoje nos EUA

Pamela Malva Publicado em 11/07/2020, às 10h00

Fotografia da jovem Evelyn McHale
Fotografia da jovem Evelyn McHale - Wikimedia Commons

1. Infância conturbada

Natural da Califórnia, Evelyn McHale era uma jovem cativante que, quando criança, passou por bons bocados. Nascida em 20 de setembro de 1923, ela cresceu em uma casa inconsistente, ao lado de mais oito irmãos.

Filha de um bancário, a menina assistiu de camarote a depressão de sua mãe se desenvolver aos poucos. Sem diagnóstico ou tratamento, a mulher ficou cada vez mais insana, situação que culminou em um divórcio inesperado.

2. Jovem e independente

Observatório do Empire State Building em meados de 1940 / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Sob a custódia do pai, que foi visto como lúcido pelo júri, Evelyn cresceu e tornou-se uma mulher independente. Durante a adolescência, inclusive, ingressou no Corpo de Mulheres do Exército. Anos mais tarde, trabalhou como contadora para Barry Rhodes, um ex-militar da Força Aérea dos Estados Unidos, de quem ela ficou noiva.

3. Sem perspectiva

Foto meramente ilustrativa do imponente Empire State Building / Crédito: Wikimedia Commons

 

No dia 1 de maio de 1947, Evelyn estava voltando de uma viagem para a Pensilvânia quando tomou um caminho diferente do que levava à sua casa. Já na imponente Nova York, ela entrou no enorme Empire State Building e subiu até o 86º andar do edifício.

Com uma vista panorâmica da cidade, então, ela se atirou do parapeito do observatório. Sem ninguém que impedisse sua queda, Evelyn despencou de uma altura superior a 320 metros. No chão, atingiu o teto de uma limusine estacionada.

4. Herança materna

A foto real do suicídio de Evelyn McHale / Crédito: Wikimedia Commons

 

O suicídio da garota de 23 anos parou uma das ruas mais movimentadas de Nova York e todos questionaram os motivos que levaram Evelyn à morte. No topo do Empire State, uma carta escrita pela jovem dava algumas pistas.

“Não quero que ninguém dentro ou fora da minha família veja qualquer parte de mim”, ela suplicou na nota. “Você poderia destruir meu corpo por cremação? Eu imploro a você e à minha família — não tenha nenhum serviço ou lembrança para mim. Meu noivo me pediu para casar com ele em junho. Não acho que eu seria uma boa esposa para ninguém. Ele está muito melhor sem mim. Diga ao meu pai que tenho muitas das tendências de minha mãe”.

5. “Suicídio mais bonito”

Nota de jornal anunciando a morte de Evelyn McHale / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Quatro minutos depois que o corpo de Evelyn atingiu o automóvel, Robert Wiles, um estudante de fotografia, registrou o momento que entraria para a História. Por anos, então, a morte da garota foi usada em peças da cultura pop, como no álbum  Backspacer, da banda de rock Pearl Jam, e em uma pintura do artista Andy Warhol.

Dessa forma, apesar de ter sido cremada, sem memorial ou sepultura, como pediu na carta, Evelyn teve muitos de seus últimos desejos desrespeitados. A fotografia emblemática ganhou espaço na mídia e foi eternizada pela Revista Time, que descreveu a morte da jovem como o “suicídio mais bonito” já visto.


++ Caro leitor, se você sente que precisa de apoio emocional ou tem percebido sinais de depressão entre em contato gratuitamente com Centro de Valorização da Vida através do número 188. O serviço conta com voluntários treinados para ajudá-lo da melhor maneira.