Curiosidades » Literatura

Infâncias roubadas: 5 diários escritos por crianças durante a Segunda Guerra

Além de Anne Frank, outros jovens encontraram na escrita uma forma de denunciar os horrores do Holocausto

Victória Gearini Publicado em 07/01/2021, às 21h15

Retrato da jovem judia Anne Frank
Retrato da jovem judia Anne Frank - Wikimedia Commons

Durante a Segunda Guerra Mundial — considerado um dos períodos mais sombrios da História — o regime nazista foi responsável por matar mais de um milhão de crianças de origem judia. Vidas inocentes foram ceifadas à mando de Adolf Hitler, e outras que conseguiram sobreviver, carregaram em seus corpos as marcas e traumas permanentes causados pela opressão nazista. 

Nesta época, muitas crianças passaram a escrever suas agruruas em espécies de diários. Como forma de denunciar os horres do Holocausto, muitos destes jovens encontraram na Literatura uma forma de se expressarem. Pensando nisso, selecionamos 5 diários escritos por crianças durante este período.

Confira abaixo.

1. O diário de Anne Frank, de Anne Frank (1995) - https://amzn.to/3aTAW7u

O diário de Anne Frank é uma das obras mais famosas do mundo. Publicado originalmente em 1947, o livro foi escrito pela garota enquanto ela e sua família se escondiam no Anexo Secreto. Entretanto, a obra nunca foi terminada e a adolescente nunca viu a publicação, pois em 1944 o esconderijo foi invadido pela Guestapo e os moradores levados para o campo de concentração.

Foto de Anne Frank em vida / Crédito: Wikimedia Commons

 

Anne Frankfoi enviada ao campo de concentração de Bergen-Belsen, onde contraiu tifo e veio a falecer em março de 1945, aos 15 anos. Contudo, mais tarde, seu diário tornou-se referência na literatura por revelar as atrocidades cometidas neste período.


2. Renia's Diary: A Holocaust Journal (Edição Inglês), de Renia Spiegel (2019) - https://amzn.to/37ChFW6 

Renia Spiegel, entre seus 15 e 18 anos, escreveu em seu diário as atrocidades que presenciou durante a Segunda Guerra. A jovem judia foi obrigada a mudar-se para o gueto Przemyśl, onde conheceu seu primeiro namorado e logo se mudou para o mesmo esconderijo de seu amado. No entanto, a história de amor da garota terminou em julho de 1942, quando Renia foi executada pelos nazistas, quatro horas depois de ter dado o seu primeiro beijo.

Retrato da jovem judia Renia Spiegel / Crédito: Wikimedia Commons

 

Pouco tempo depois, Zygmunt Schwarzer descobriu os escritos da namorada e registrou seus últimos momentos de vida: “Três tiros! Três vidas perdidas. Tudo o que consigo ouvir são tiros e tiros”. Com quase 700 páginas, a obra original permaneceu escondida durante anos, até que sua sobrinha Alexandra Renata Bellak, a encontrou e a traduziu para o inglês.


3. He vivido tan poco: Diario de Eva Heyman (Edição Espanhol), de Eva Heyman (2016) - https://amzn.to/2UaEbkU

Foto da judia Eva Heyman / Crédito: Wikimedia Commons

 

Embora curto, o Diario de Eva Heyman apresenta fortes relatos sobre a vida da jovem judia, que foi executada em Auschwitz. Com apenas 13 anos, Eva começou a escrever em seu diário, na Hungria, mas apenas quatro meses depois foi enviada para o campo de concentração, onde foi torturada por Mengele e posteriormente morta pelos nazistas.


4. A cor da coragem: A guerra de um menino - O diário de Julian Kulski na Segunda Guerra Mundial, de Julian Kulski (2016) - https://amzn.to/31fxCiM

Foto de Julian Kulski / Crédito: Divulgação / Rocco

 

A Cor da Coragem foi escrito por Julian Kulski, quando tinha apenas 10 anos de idade. Em setembro de 1939, os alemães invadiram Varsóvia, na Polônia, e Julian, filho do ex-prefeito, se viu na obrigação de lutar contra os nazistas. Seu diário é baseado em sua vivência na zona de conflito, onde presenciou torturas, fuzilamentos e enfrentou a sede e o frio.


5. O diário de Rutka, de Rutka Laskier (2008) - https://amzn.to/36z5V5u

Retrato da jovem judia Rutka Laskier / Crédito: Wikimedia Commons

 

O diário de Rutka retrata o medo e os desafios encontrados pela jovem judia Rutka Laskier. A obra foi escrita pela garota, durante três meses, em 1943, até que no mesmo ano foi capturada e enviada para Auschwitz, onde morreu aos 14 anos de idade. Seu diário já foi traduzido para o inglês, espanhol, italiano, japonês e recentemente para o português.


+Saiba mais sobre as obras citadas acima por meio da Amazon:

1. O diário de Anne Frank, de Anne Frank (1995) - https://amzn.to/3aTAW7u

2. Renia's Diary: A Holocaust Journal (Edição Inglês), de Renia Spiegel (2019) - https://amzn.to/37ChFW6 

3. He vivido tan poco: Diario de Eva Heyman (Edição Espanhol), de Eva Heyman (2016) - https://amzn.to/2UaEbkU

4. A cor da coragem: A guerra de um menino - O diário de Julian Kulski na Segunda Guerra Mundial, de Julian Kulski (2016) - https://amzn.to/31fxCiM

5. O diário de Rutka, de Rutka Laskier (2008) - https://amzn.to/36z5V5u

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W