Curiosidades » Personagem

Josef Stalin: 5 fatos peculiares sobre o temido ditador comunista

De seu medo mais íntimo a sua relação de amor e ódio com John Wayne, conheça mais sobre o tirano soviético

Isabela Barreiros Publicado em 23/02/2020, às 11h00

Josef Stalin, revolucionário soviético da Revolução Russa
Josef Stalin, revolucionário soviético da Revolução Russa - Getty Images

Josef Stalin nasceu na aldeia georgiana de Gori, filho de Besarion Dzhugashvili, um sapateiro alcóolatra casado com uma mulher chamada Ekaterine Geladze. Koba foi o único que sobreviveu à infância e se tornou o principal líder da história da Rússia. Conheça 5 fatos que você provavelmente não sabia sobre o revolucionário soviético.

1. Medo de voar

O terrível ditador soviético tinha um medo comum às pessoas mais comuns do mundo: o de voar. Mesmo que viagens feitas pelo transporte fossem mais fáceis e rápidas, Stalin sempre insistia em usar trens.

Catástrofes aéreas nas quais alguns políticos russos foram vítimas agravaram ainda mais o medo irracional do revolucionário. Em 1925, 1931 e 1933, um grupo de oficiais, Vladímir Triandafillov e Piotr Baranov morreram devido à queda dos aviões em que estavam.


2. Filmes estadunidenses

[Colocar ALT]
John Wayne, ator estadunidense / Crédito: Getty Images

De acordo com o livro John Wayne: O Homem por Trás do Mito, lançado em 2001 pelo biógrafo Michael Munn, o tirano russo ficava enfurecido com a postura anticomunista de Wayne, que era a favor do programa de caça às bruxas promovido pelo senador dos Estados Unidos Joseph McCarthy e que perseguiu pessoas ao menor sinal de ligação com o comunismo.

Por conta disso, Stalin colocou o ator estadunidense em sua “lista negra” e ordenou que a KGB o assassinasse. Mas, ainda assim, podemos dizer que a relação do ditador com o cowboy era de amor e ódio — exatamente porque os filmes de faroeste americanos eram uma das maiores paixões de Josef Stalin.


3. Mausoléu de Lenin

Quando Stalin morreu, seu corpo compartilhou o mesmo mausoléu que guardava o cadáver de Lenin, localizado na Praça Vermelha, ante o Kremlin, em Moscou. Entre os anos de 1953 e 1961, os dois eram expostos lado a lado na famosa sepultura.

No entanto, durante o período de desestalinização na Rússia, uma política do governo que tentava eliminar o culto à personalidade e ao governo instaurado por Stalin, ele foi secretamente retirado da tumba. Nikita Khrushchev, o então secretário do Comitê Central da União Soviética, fez com que retirassem o cadáver e o enterrassem novamente atrás do Kremlin.


4. Ateísmo

Crédito: Getty Images

 

A União Soviética foi o primeiro Estado a instaurar o ateísmo como sua religião oficial. Stalin foi responsável por instituir a substituição durante seu governo. Eles destruíram igrejas, confiscaram bens religiosos, promoveram o ateísmo nas escolas e ainda perseguiram líderes religiosos.


5. Paixão pela leitura

Stalin era apaixonado por literatura. Como gostava muito de ler, possuía uma imensa biblioteca em seus aposentos, que chegavam a ter mais de 20 mil exemplares de obras de todos os tipos. Além disso, era um devorador de livros, sendo capaz de ler por volta de 500 páginas por dia.


+Saiba mais sobre a União Soviética e Stalin através das obras abaixo:
 
O último império: Os últimos dias da União Soviética, Serhii Plokhy (e-book) - https://amzn.to/2pRjTjz
 
História da União Soviética, Peter Kenez (2007) - https://amzn.to/2N6dpoE
 
Barbarossa. A Invasão da União Soviética Pela Alemanha Nazista em 1941, Will Fowler (2015) - https://amzn.to/2pVvlud
 
Stálin: Paradoxos do poder 1878-1928, Stephen Kotkin (e-book)  - https://amzn.to/2NbLcNw
 
Stálin: Nova biografia de um ditador, Oleg V. Khlevniuk (2017) - https://amzn.to/2BG8LbF
 
Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.