Curiosidades » Crimes

Traição, TV a cabo e desemprego: 5 casos insólitos que já foram parar nos tribunais

Confira os processos judiciais mais inusitados e bizarros da História!

Victória Gearini Publicado em 23/02/2020, às 18h13

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Getty Images

1. Traição induzida pela psicológa

[Colocar ALT]
Guido Venitucci e Heather Aldridge / Crédito: Divulgação

O conselheiro conjugal de Nova York, Jeffrey Mechanic, foi responsável pela ação judicial movida pelo casal americano Guido Venitucci e Heather Aldridge. Segundo o marido, ele foi instruído por sua psicóloga, de forma subjetiva, a trair sua esposa. Ao todo, o casal alega ter gasto mais de US$ 150 mil com as sessões, e exigem a quantia de US$ 8 milhões.

 

 

 

 

2. Dirigiu bêbada e processou a empresa

Um dos casos mais curiosos e inusitados ocorreu no Canadá. Linda Hunt, 52 anos, dirigiu bêbada, após a festa da empresa, e como consequência bateu seu veículo. No entanto, o choque do juiz se deu ao saber que Hunt estava processando seu ex-chefe por permiti-la dirigir embriagada. Resultado: ganhou o processo e foi indenizada em US$ 300 mil.

3. Não arranjou emprego e culpou a faculdade

Recém-formada em Tecnologia da Informação pela Monroe College, em Nova York, Trina Thompson, de 27 anos, não conseguia arrumar emprego. Com argumento de que fazia sete meses que estava formada e desempregada, decidiu processar a faculdade em US$ 70 mil. No entanto, a instituição alegou que oferece todo apoio aos alunos, mas que Trina não merecia considerações. 

4. Traição tem preço

É comum casais se processarem após o término do relacionamento, mas geralmente os motivos incluem filhos, casas, heranças, etc. No entanto, este não foi o caso de Nonkazimulo Dube, no Zimbábue. A dona de casa processou o ex-marido após flagrá-lo em sua cama com uma amante. No processo, consta que a indenização chega ao equivalente a R$ 350. Nonkazimulo Dube exigiu, ainda, que o ex consertasse a cama ao meio, mas teve o desejo negado. 

5. A culpa é da TV 

Imagem ilustrativa / Crédito: Divulgação

 

Que a tecnologia deixa as pessoas mais sedentárias é fato, mas no caso do americano  Timothy Dumouchel, ele encontrou na TV a cabo o real motivo de seus problemas. Após perceber que fumava mais enquanto assistia televisão e que sua mulher passava horas comendo, Timothy decidiu processar a empresa de TV a cabo. Ele alegou que a culpa de estarem naquela situação era da operadora que não cancelou sua assinatura, mas, em 2004, o processo foi arquivado.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras:

O sol ainda brilha: A história real do homem que passou 30 anos no corredor da morte por crimes que não cometeu, de Anthony Ray Hinton (2019) - https://amzn.to/37JVInf

Collor presidente: trinta meses de turbulências, reformas, intrigas e corrupção, de  Marco Antonio Villa (2016) - https://amzn.to/2PaqNcw

O pêndulo da democracia, de Leonardo Avritzer (2019) - https://amzn.to/2rVt7fo

Suzane assassina e manipuladora, de Ullisses Campbell (2020) - https://amzn.to/3aFqnVk

O pior dos crimes, de Rogério Pagnan (2018) - https://amzn.to/2S287OY

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.