Curiosidades » Europa

5 mitos sobre os vikings que Hollywood precisa parar de reproduzir

De capacetes com chifres a falta de higiene: muito do que você já escutou sobre os guerreiros bárbaros é apenas balela

Joseane Pereira Publicado em 08/09/2019, às 08h00

None
-

Ao pensar nos vikings, geralmente imaginamos homens louros e barbudos, com chifres nos chapéus e armas letais. Mas historiadores afirmam que essa imagem não é totalmente correta.

Confira abaixo cinco mitos sobre os Vikings.

5. Os vikings chamavam-se por esse nome

Crédito: Reprodução

 

Hoje em dia, a palavra Viking é usada por estudiosos como referência aos escandinavos que saquearam e colonizaram parte da Europa entre os séculos 8 e 11. No entanto, quando vivos, eles sequer se consideravam um povo unificado. Ninguém sabe ao certo quando o termo Viking passou a identificar os vários grupos nórdicos liderados por chefes da Noruega, Dinamarca e Suécia.

4. Vikings eram guerreiros

Crédito: Reprodução

 

Muitos dos desbravadores marítimos não tinham formação militar, sendo camponeses, fazendeiros ou pescadores. Caso quisessem se juntar aos grupos itinerantes, eles deveriam levar suas próprias armas - que nem sempre utilizavam, pois invasões de aldeias sem combate eram muito comuns. 

Entretanto, essa característica tem um pouco de verdade: alguns vikings eram mortais no campo de batalha, como os Berserkers que adoravam Odin e entravam em uma espécie de transe enquanto lutavam.

3. Eles eram loiros de olhos azuis

Crédito: Reprodução

 

Outro grande estereótipo é com relação à cor de cabelo dos Vikings. Apesar dos seus países de procedência terem maioria loira, esses desbravadores tinham contato com outras culturas, levando pessoas de etnias distintas para a Escandinávia. Essa mistura levou a uma variedade de aparências físicas. 

2. Vikings eram sujos e descuidados

Crédito: Reprodução

 

Apesar da vida difícil, esses nórdicos cuidavam de sua aparência: descobertas arqueológicas atestaram o uso de pentes, palitos de dentes, limpadores de unhas e limpadores de ouvido, indicando uma ótima higiene pessoal. Eles também tomavam banho semanalmente.

1. Eles adoravam capacetes com chifres

Crédito: Reprodução

 

Ao contrário do que se acredita, os vikings não usavam capacete. Segundo evidências arqueológicas, existe apenas um capacet viking encontrado - uma simples peça de ferro, sem nenhum elemento pontiagudo. O famoso estereótipo foi criado em 1840, quando o figurinista Carl Emil Doepler deu vida a peças pontiagudas para as óperas Der Ring des Nibelungen, do compositor alemão Richard Wagner, que eram baseadas em histórias nórdicas e alemãs.