Curiosidades » Personagens

A inacreditável fuga de Churchill durante a Guerra dos Bôeres

Durante o conflito, o político foi capturado pelas tropas inimigas — e não aceitou ser mantido na prisão

Caio Tortamano Publicado em 04/12/2019, às 08h00

Churchill nunca largava o seu charuto
Churchill nunca largava o seu charuto - Getty Images

Winston Churchill, primeiro-ministro do Reino Unido durante a Segunda Guerra, não teve grande destaque somente nesse período histórico. Aos 25 anos, ele já havia participado de quatro guerras em três continentes diferentes.

Em sua juventude, Churchill acreditava que seria agente importante de mudanças no mundo, e não possuía qualquer timidez. Acreditando que a guerra era um veículo político crucial, ele ingressou em alguns conflitos armados para se estabelecer como figura pública.

Ao buscar reconhecimento, acabou vivenciando experiências, no mínimo, perigosas. Atuando como correspondente e militar, Churchill escapou de um tiro que passou de raspão em sua cabeça. Em outro momento, sobreviveu a uma sangrenta batalha na Índia, na qual diversos de seus amigos foram mortos. Mas os perigos não acabaram aí.

Em 1899, quando os britânicos entraram em conflito com os colonos da Holanda e da França pelo poder das minas de pedras preciosas na África do Sul, conhecida como Guerra dos Bôeres, Churchill encontrou problemas.

Winston Churchill ainda jovem, mas já com vontade de ser reconhecido / Crédito: Getty Images

 

Durante o conflito, o futuro primeiro-ministro realizava o reconhecimento do local juntamente com outros soldados britânicos, quando foram atacados pelos Bôeres (colonos franceses e holandeses).

Depois de muito tempo de fogo cruzado, Churchill possibilitou a saída segura de muitos dos soldados que estavam presos na emboscada. No entanto, nem ele mesmo teve sorte: acabou sendo capturado pelas forças inimigas e levado para um campo de prisioneiros em Pretoria.

Churchill enquanto prisioneiro (sozinho à direita) / Crédito: Getty Images

 

Como consequência, esboçou um plano para fugir do cativeiro. E conseguiu. Em uma noite de dezembro de 1899, Churchill passou a ser o homem mais procurado da África do Sul. Isso porque a fuga do jovem heroico seria uma das únicas vitórias britânicas naquele conflito quase perdido.

Sua estratégia era simples, ele se escondia de dia e fugia pela noite, em um trajeto 500km. Vale destacar que o prisioneiro pouco sabia sobre a região e não tinha quase nada para comer. Se alimentando de frutos e bebendo água de riachos, Churchill estava quase morrendo quando encontrou um trabalhador de uma mina de carvão que, por sorte, era inglês.

Ele abrigou o futuro primeiro-ministro até tropas britânicas o resgatassem. Mesmo depois disso tudo, ele continuou na África do Sul até os últimos momentos da guerra, ajudando na libertação dos prisioneiros que haviam sido capturados ao seu lado.

Voltando para a Inglaterra, ele foi recebido como herói de guerra, concorrendo ao Parlamento britânico. Assim começaria o momento de sua trajetória que marcou o nome de Churchill na História.


Saiba mais sobre Winston Churchill através de importantes obras

Churchill: Uma vida vol. I, Martin Gilbert (2016)

link:https://amzn.to/34LWLT7

Churchill: Uma vida vol. II, Martin Gilbert (2016)

link:https://amzn.to/2LiTnYc

Grandes homens do meu tempo, Winston S. Churchill (2019)

link:https://amzn.to/2qizhpJ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.