Curiosidades » Ciência

Kurt Gödel, o filósofo que se tornou paranoico demais até para comer

Conhecido por ser um dos maiores cientistas do século 20, Gödel tinha medo de ser envenenado e teve um final trágico

Isabela Barreiros Publicado em 17/09/2019, às 12h00

Albert Einstein e Kurt Gödel
Albert Einstein e Kurt Gödel - Reprodução

Kurt Gödel foi um dos mais importantes matemáticos da história. Seus teoremas derrubaram inúmeras certezas que existiam entre os cientistas durante o século 20. Segundo a Universidade de Princeton, ele “sacudiu os fundamentos da nossa compreensão sobre a mente humana".

Gödel nasceu em 1906, na Áustria. Em sua infância, foi apelidado por sua família de "senhor por quê", exatamente pelo fato de ser muito curioso e questionar tudo ao seu redor. Mais tarde, isso se comprovaria em suas teorias que mudaram a forma com que as pessoas entendiam muitas coisas.

Os teoremas da incompletude afirmavam que a matemática nem sempre podia ser comprovada por meio de cálculos. Às vezes, existem afirmações que são verdadeiras e que, no entanto, não podem ser confirmadas por contas.

Isso revolucionou a matemática. Muitos outros cientistas que vieram depois de Gödel tiveram influência de suas teorias e criaram fórmulas que são muito importantes até os dias de hoje. 

Além disso, ele se tornou amigo do mais famoso físico do mundo, Einstein. Os dois faziam caminhadas até o Instituto de Estudos Avançados de Princeton e conversavam sobre ciência e inúmeros outros assuntos. Segundo a revista norte-americana New Yorker, os dois eram praticamente opostos. “Enquanto Einstein era gregário e cheio de riso, Gödel era solene, solitário e pessimista”.

Gödel e Einstein durante suas caminhadas / Crédito: Reprodução

 

Mas todo esse intelecto não foi capaz de acalmar as paranoias que viviam na cabeça do matemático. Ao final de sua carreira, Gödel não comia. Ele apenas se alimentava quando sua esposa Adele experimentava primeiro sua refeição. Isso acontecia porque o homem tinha pavor de ser envenenado.

Quando Adele precisou ser hospitalizada por um longo período, o cientista praticamente não comia. Aos 71 anos, em 1979, Gödel faleceu pesando por volta de 30 kg. Seu atestado de óbito alegou que a causa da morte havia sido "desnutrição e inanição causada por distúrbio de personalidade".