Curiosidades » Idade Média

Morrer e matar por Cristo: 10 fatos curiosos sobre os Cavaleiros Templários

Guerreiros acima das leis, castos e pobres. Conheça a mais poderosa ordem de cavaleiros da cristandade

Isabela Barreiros Publicado em 08/09/2019, às 08h00

None
- Reprodução

Os cavaleiros templários faziam parte de uma ordem militar da Cavalaria no período da Idade Média. Durante os anos de 1118 e 1312 d.C., sua função era, principalmente, proteger cristãos peregrinos que estavam indo até Jerusalém.

Eles faziam votos de pobreza, obediência e castidade. Conheça 10 fatos curiosos sobre a lendária ordem.

Jamais se renda

Seguindo normas muito estritas, os cavaleiros nunca poderiam se render enquanto a cruz vermelha ainda sobrevoasse o campo de batalha. Todos eles dariam suas vidas pela ordem, o que significa que eles não recuavam quase que de forma alguma. 

Os treinamentos

É sabido que os membros da organização sempre estavam armados e treinados. No entanto, não havia nenhum tipo de padrão para os treinos desses homens. Acredita-se que isso acontecia porque já era esperado que os cavaleiros já tivessem recebido capacitação anteriormente.

Cavaleiros?

Mesmo que conhecidos por seus cavaleiros, a Ordem dos Templários contava com muito mais pessoas do que apenas estes. Existiam centenas de cavaleiros, mas a maioria era formada por soldados de infantaria, como escudeiros, padres, trabalhadores e até mesmo mulheres.

Crédito: Reprodução

 

As mulheres

Elas não podiam se tornar cavaleiros, já que não havia a possibilidade de que estas lutassem, mas as mulheres podiam fazer parte da organização por outras formas. A maioria, eram freiras que ajudavam nos “empreendimentos espirituais”, fazendo orações, e oferecendo assistência médica e psicológica aos soldados. 

Poder territorial

Os templários possuíam inúmeras terras, tornando-se muito poderosos com o passar dos anos. Regiões como Inglaterra, Portugal, Boêmia, a ilha de Chipre, entre outros, faziam parte do poderio da ordem. Assim, eles tinham muitos recursos à sua disposição. 

Criação de um banco

Os mosteiros templários eram lugares seguros e, por isso, passaram a ser usados como um tipo de banco . Pessoas guardavam riquezas, objetos de valor, faziam empréstimos e até emitiam cheques. O sistema ficou tão famoso que inúmeros reis deixaram suas fortunas nesses locais.

Código secreto

Ao moldarem esse sistema bancários, os cavaleiros precisavam compartilhar os dados financeiros ou confidenciais com outras seitas da ordem. Por isso, criaram um código secreto que, na época, era impossível de ser decifrado. O símbolo foi baseado em uma variante da Cruz de Malta.

Crédito: Reprodução

 

Acima da lei

Uma das vantagens de ser um cavaleiro templário residia no fato de que eles estavam acima de todas as leis locais e regionais — respondendo apenas ao papa. Além disso, eles não pagavam a maioria dos impostos das regiões em que ficavam.

Mercenários

Os templários não se importavam em contratar exércitos mercenários para apoiar suas próprias guerras. Especialmente durante as Cruzadas, eles recrutavam turcopoles, a cavalaria leve da Anatólia, e unidades de arqueiros compostas cristãos ortodoxos do Oriente Médio. 

Crédito: Reprodução

 

Pergaminho Chinon

O Pergaminho Chinon foi a decisão do Papa Clemente V de exonerar os Cavaleiros Templários de todas as acusações impostas contra eles pelo rei Filipe. O manuscrito só foi encontrado em 2001 e revela como eles foram inocentados de todos os possíveis “crimes” que cometeram.