Curiosidades » Segunda Guerra

Por dentro de Auschwitz: O horror das câmaras de gás da Segunda Guerra Mundial

Atraídos com a desculpa de que iriam tomar banho, cerca de 800 prisioneiros eram cruelmente mortos por sessão de extermínio, e incinerados em seguida

Daniela Bazi Publicado em 27/01/2020, às 16h00

Prisioneiros do campo de concentração
Prisioneiros do campo de concentração - Wikimedia Commons

As câmaras de gás nazistas da Segunda Guerra Mundial foram uma das formas mais cruéis e marcantes, utilizadas para exterminar prisioneiros dos campos de concentração, com vapor do pesticida Zyklon-B.

A primeira vez em que o método foi aplicado aconteceu em 1941, com 250 pessoas que estavam doentes e 600 prisioneiros da União Soviética, que acabaram sendo queimados após de mortos para que os alemães não fossem acusados de crime de guerra.

Todos aqueles que os soldados julgavam incapazes de trabalhar, eram atraídos para as câmaras com a desculpa de que eles estariam indo para um banho, e logo receberiam novas roupas para se encontrarem com seus conhecidos. Quando, na realidade, eles estavam caminhando para a própria morte.

Câmara de gás do campo de concentração de Dachau / Crédito: Wikimedia Commons

 

Segundo relatos do médico forense da Universidade de Hamburgo-Eppendorf, Dr. Sven Anders, durante os julgamentos dos crimes de guerra cometidos pelos alemães, inalar o Zyklon-B afetava primeiro o cérebro e o coração, além de causar violentas convulsões e uma forte dor, levando a vítima a um ataque cardíaco em segundos.

“Os sintomas começavam com uma sensação se queimação no peito similar à que causa a dor espasmódica e à que ocorre durante os ataques de epilepsia. A morte por parada cardíaca acontecia em questão de segundos. Era um dos venenos de ação mais rápida”, disse Sven.

As sessões de extermínio duravam 30 minutos, e matavam por volta de 800 pessoas de uma vez, entre indivíduos com deficiência física, idosos, crianças e doentes. Os que eram mais altos acabavam morrendo primeiro, pelo gás se concentrar principalmente nos cantos superiores da câmara, por ser mais leve que o ar.

Crematório do campo de concentração de Auschwitz / Crédito: Wikimedia Commons

 

Os sonderkommando, prisioneiros judeus que foram obrigados a se tornarem guardas, eram os responsáveis por levar as pessoas até as câmaras de gás, retirar os corpos após as mortes e queima-los para eliminar todas as evidências.


+Saiba mais sobre a Segunda Guerra através das obras abaixo

A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, de Martin Gilbert (2014) - https://amzn.to/2RdWQeu

A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor (2015) - https://amzn.to/2Lgur3l

Guerra: O horror da guerra e seu legado para a humanidade, de Ian Morris (2015) - https://amzn.to/37RGL3M

Box Memórias da Segunda Guerra Mundial (2017) - https://amzn.to/2LgFw4z

O Essencial da Segunda Guerra Mundial (2014) - https://amzn.to/37VuICC

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.