Curiosidades » Religião

O pentagrama sempre foi um símbolo satânico?

Com mais de 5 mil anos de criação, ele ainda hoje decora igrejas e mesquitas

Redação Publicado em 21/02/2020, às 09h00

Pentagrama é também usado em filmes de terror
Pentagrama é também usado em filmes de terror - Divulgação

O pentagrama apareceu pela primeira vez entre os Sumérios de 3.000 a.C., com um significado astrológico. No século 5 a.C., os discípulos de Pitágoras adotaram o pentagrama como símbolo místico, representando os quatro elementos mais o quinto, o espírito. Em cada ponta, aparecia uma letra do nome da deusa da saúde, Hígia.

Crédito: Divulgação

 

Na Idade Média, cristãos europeus passaram a usá-lo como amuleto contra demônios, representando as cinco chagas de cristo. Islâmicos o usaram como elemento decorativo - em mesquitas. Na Renascença, o alquimista alemão Heirich Cornelius Agrippa (1486-1535) resgatou o significado original dos cinco elementos. Essa é a interpretação do pentagrama, com a ponta para cima, no neopaganismo Wicca

Foi só no século 19 que surgiu a versão satânica, de cabeça para baixo, pelo ocultista francês Eliphas Levi. Ele afirmou que, se a ponta, que representa o espírito, fica para baixo, o pentagrama passa a simbolizar o domínio da matéria sobre as coisas elevadas, um símbolo de magia negra, no qual pode ser vista a face do bode Baphomet. 

Crédito: Divulgação

 

Nessa versão, foi adotado pela Igreja de Satã, fundada por Anton LaVey em 1969, organização na qual é proibido acreditar realmente no Diabo.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo

A trágica história do Doutor Fausto, Christopher Marlowe (2018) - https://amzn.to/2PyiyXO

O diabo e a terra de santa cruz, Laura de Mello e Souza (1986) - https://amzn.to/2PhcAMj

O Diabo revelado, Laurence Gardner (2013) - https://amzn.to/2RWEUp5

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.