Curiosidades » Mundo

A verdade por trás da pegadinha: Por que 1º de abril é o Dia da Mentira?

A resposta confunde os historiadores tanto quanto as notícias falsas confundem os parentes

Álvaro Oppermann Publicado em 01/04/2020, às 07h00

Um bobo da corte por volta de 1500, quadro do holandês Jacob Cornelisz van Oostsanen
Um bobo da corte por volta de 1500, quadro do holandês Jacob Cornelisz van Oostsanen - Wikimedia Commons

A verdade mesmo é que a origem do Dia da Mentira confunde mais os historiadores quanto as notícias falsas repassadas pelos parentes desavisados em grupos do WhatsApp.

A versão mais difundida é de que a origem é do fim do século 16, com a adoção do calendário gregoriano na Europa. Instituído pelo papa Gregório XIII em 1582, ele marcava o começo do ano em 1º de janeiro. Até então, como já era na em Roma antiga, o ano começava em março. No início, a mudança gerou confusão. Por teimosia ou desconhecimento, muitos europeus continuaram brindando o novo ano na data antiga, e os trotes de 1º de abril teriam como mote esse equívoco.

Antes de Gregório, o calendário mais aceito era o juliano. Criado no ano 45 a.C. por Júlio César (101 a.C.-44 a.C.), ele estabelecia que o início do ano coincidia com o equinócio de primavera, entre 20 e 21 de março. Mas, na Europa medieval, nem mesmo o calendário juliano era seguido por todos. Muitas aldeias e paróquias celebravam o ano novo na festa da Anunciação, em 25 de março. Outros esticavam o ano velho até 31 de março e só comemoravam o réveillon em 1º de abril.

A reforma do papa Gregório XIII terminou com a bagunça. Ou pelo menos tentou. A Inglaterra, por exemplo, só adotou a nova folhinha em 1752. Apesar de ter se antecipado ao papa e, por ordem do rei Carlos IX, trocado de calendário já em 1564, a França só conseguiu impô-lo com a Revolução Francesa, em 1789. Essa confusão de datas suscitou as brincadeiras. Entre os trotes de abril, um dos mais populares era o anúncio de casamentos falsos, marcados para o dia 1º. Arruaceiros também pregavam cartazes com supostos éditos reais de conteúdo jocoso.

Outra teoria para explicar o Dia dos Bobos defende que a data seria uma antiga festa romana. “Em Roma já se pregavam trotes durante o equinócio de primavera”, diz o historiador americano Joseph Boskin, professor da Universidade de Boston. De acordo com ele, essas festas deram origem ao Dia dos Bobos inglês (o April Fool’s Day), também comemorado no dia 1º. “Os trotes de 1º de abril são anteriores à reforma do calendário por Gregório”. Assim, a mudança talvez só tenha reforçado um dia de piadas anterior.

Reforça essa teoria o fato de a referência mais antiga conhecida ao Dia da Mentira estar nos Contos da Cantuária (1392) do inglês Geoffrey Chaucer. No Conto da Freira do Padre, uma raposa aparece enganando um galo no "32º dia desde que março começou" - isto é, 1º de abril. Ainda assim, isso é disputado. Alguns historiadores acreditam que tenha havido um erro de transcrição e na verdade ele se referia a 32 dias após março, isto é, 3 de maio.


+Saiba mais sobre Roma Antiga através das obras disponíveis na Amazon

Roma: A História De Um Império, de Greg Woolf (2017) - https://amzn.to/3aftLpL

Declínio e queda do Império Romano: Edição abreviada, de Edward Gibbon, Dero A. (2018) - https://amzn.to/30tEyYV

O Império Romano, de Pierre Grimal (2010) - https://amzn.to/3747XeU

Em nome de Roma, de Adrian Goldsworthy (2016) - https://amzn.to/364NVzP

SPQR - Uma História da Roma Antiga, de Mary Beard (2017) - https://amzn.to/35UghfS

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.
 
Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 
 
Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W