Curiosidades » Estados Unidos

Lawrence John Ripple, o homem que roubou um banco para ficar longe da mulher

Em 2016, um caso insólito aconteceu nos Estados Unidos e colocou um idoso de 70 anos nas páginas dos jornais

Alana Sousa Publicado em 27/02/2021, às 14h00

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Divulgação/Pixabay

Enquanto alguns não aguentam mais ficar em casa durante a pandemia, o período dramático pode afetar mais profundamente alguns casais que, sem conseguir levar a relação adiante, optam pelo divórcio.

Entretanto, lá em 2016, um homem residente do estado de Kansas, nos Estados Unidos, já sentia na pele o que é estar aprisionado em sua própria casa. Lawrence John Ripple, então com 70 anos, tomou uma atitude drástica que trouxe atenção do mundo para sua história.

Com histórico de depressão, o americano morava com a esposa e seus quatro enteados, com quem tinha uma ilusória relação estável e tranquila. Apesar da aparente vida calma, para o idoso, as coisas eram mais complexas.

Cansado de viver em sua residência e, principalmente, dividir o mesmo teto com a mulher, Ripple tomou uma decisão arriscada, seu plano era ir preso para conseguir sair de casa. Analisando as possibilidades que poderiam o levar à cadeia, Lawrence escolheu um crime clássico, que seria certeiro: roubar um banco.

Mugshot de Lawrence John Ripple / Crédito: Divulgação/Polícia do Condado de Wyandotte

 

O roubo inusitado

O assalto foi marcado para 2 de setembro de 2016, o banco escolhido foi um de sua própria cidade, chamado Bank of Labor. Chegando lá, sua estratégia foi simples, entregou um bilhete para a atendente do caixa, no qual dizia que tinha uma arma e precisava de dinheiro.

A funcionária não só entregou uma grande quantia, como chamou rapidamente as autoridades. Vendo que seu desejo estava perto de se realizar, Ripple sentou em um canto vazio da recepção e esperou a chegada das viaturas.

Quando os policiais chegaram, o guarda do banco começou a procurar pelo suposto assaltante, algo que o idoso viu e decidiu, então, se entregar. Levado sob custódia, Lawrence revelou de cara toda a verdade.

Entre os oficiais, estava um agente do FBI, Eric Beltz, que anotou o depoimento, conforme noticiou na época o site australiano, News.com. Ripple confessou que havia brigado com a esposa na noite anterior ao crime, o que foi um gatilho para que ele colocasse o plano em prática.

O americano ainda enfatizou que jamais pensou em ficar com o dinheiro, sua vontade era apenas ir para a cadeia. Ele contou que escreveu o bilhete em frente a sua mulher, e que ela poderia confirmar sua versão. Sem saber se a história era verídica, as autoridades do Kansas o mandaram para uma cela e deram continuidade às investigações.

Lawrence e sua esposa / Crédito: Divulgação

 

Final infeliz

Embora tenha parecido que o plano fora executado perfeitamente, Ripple ficou encarcerado e longe da família por apenas cinco dias. Ao enfrentar o tribunal de justiça, a sentença foi bem diferente do que ele esperava.

Primeiramente, o ‘criminoso’ foi condenado a seis meses de prisão domiciliar, o oposto do que desejava — agora estava preso dentro de casa. Quase um ano mais tarde, em junho de 2017, o juiz Carlos Murguia aumentou sua pena, acrescentando uma multa de 745 reais a ser paga ao banco e 50 horas de serviço comunitário. As informações foram divulgadas pelo portal UOL e R7.

Ainda que seja bizarra, sua história, de uma forma, o colocou no caminho certo. Durante seu tempo na corte, Lawrence afirmou que estava se tratando contra a depressão e já não se sentia da mesma forma.

Mesmo após toda a confusão causada, seus enteados e, até mesmo, a esposa compareceram ao tribunal para lhe oferecer apoio.


+Saiba mais sobre o tema através das obras disponíveis na Amazon

Estarão as prisões obsoletas?, Angela Davis (2018) - https://amzn.to/31UXctz

Presos que menstruam: A brutal vida das mulheres - tratadas como homens - nas prisões brasileiras, Nana Queiroz (e-book) - https://amzn.to/2SQJHHs

Manicômios, prisões e conventos, Erving Goffman (2015) - https://amzn.to/3258P1n

As prisões da miséria, Loïc Wacquant (2001) - https://amzn.to/2SriHyW

História das prisões no Brasil, Clarissa Nunes Maia, Marcos Paulo Pedrosa Costa, Marcos Luiz Bretas, Flávio de Sá Neto (e-book) - https://amzn.to/3bCNBfw

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W