Curiosidades » Música

Negligência e indiferença: quem ficou com a fortuna de John Lennon?

O cantor foi um dos maiores músicos de todos os tempos, o que gerou um grande patrimônio para ele, que não foi tão bem distribuído após a sua trágica morte

Caio Tortamano Publicado em 01/07/2020, às 17h25

John Lennon, ex-integrante da banda The Beatles
John Lennon, ex-integrante da banda The Beatles - Wikimedia Commons

Por mais inesperada e violenta que tenha sido a morte do ex-Beatle John Lennon — assassinado a sangue frio por um fã em frente ao seu apartamento, em Nova York — o cantor já havia elaborado um testamento.

O destino de seus bens após a sua morte foi dividido entre três principais figuras: Yoko Ono — esposa  —, Sean — filho de Lennon e Ono — e, por fim, Julian, o filho que teve com a primeira mulher, Cynthia Powell.

Cynthia, Jules e John em foto de família / Crédito: Divulgação

 

O patrimônio bruto de Lennon, na época de sua morte, girava em torno de impressionantes 800 milhões de dólares, de acordo com o Celebrity Net Worth. Em números líquidos, o valor que poderia ser utilizado prontamente pelos beneficiados estava em torno de 220 milhões.

No entanto, o dinheiro não era distribuído igualmente entre seus três herdeiros. Na verdade, o filho Julian foi simplesmente ignorado durante grande parte da trajetória do astro, recebendo somente duas mil e quatrocentas libras por ano, como manutenção de um acordo de divórcio entre a mãe do menino e seu falecido pai.

Quando chegasse aos 25 anos de idade, Julian ainda receberia a quantia de 50 mil libras como herança. Enquanto isso, todo o resto da fortuna pertencia a Sean e Yoko.

John Lennon e Yoko Ono / Crédito: Divulgação 

 

Julian, que tinha 17 anos quando o pai morreu, afirmou em entrevistas que não achava justo receber tão pouco como herança, mas que mesmo assim estava bem com a decisão. Tanto é que nenhum processo judicial fora aberto na época porque ele sabia que traria uma exposição desnecessária ao último núcleo familiar do Beatle.

“Não haveria vida privada para Sean ou para mim. Eu só queria resolver isso, dar o fora dali. Um capítulo da minha vida terminou, acabou”. A relação entre o filho primogênito e o lendário artista nunca foi das melhores, tendo Paul McCartney sido uma figura muito mais presente para Julian do que o próprio pai.

Em uma conversa entre o baixista e Jules — como era carinhosamente chamado — que surgiu a música Hey Jude (tendo Paul trocado o nome para ficar mais sonoro).

Jules Lennon por volta de 2000 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Como se não bastasse o dinheiro, Lennon também não deixou nenhum item pessoal para seu primeiro filho. Julian revelou ao longo de sua vida que alguns pertences do pai, dos quais tinha algum apego emocional, tiveram que ser comprados com o próprio dinheiro.

Depois de anos de descaso, uma disputa judicial foi iniciada pelo filho de Cynthia, na tentativa de conseguir uma quantia maior na herança. Tudo correu em sigilo, e aparentemente Julian chegou a ser agraciado com cerca de 20 milhões de libras.


+Saiba mais sobre os Beatles por meio das obras disponíveis na Amazon

The Beatles a biografia, Bob Spitz (2007) - https://amzn.to/34UWugM

Here, There and Everywhere. Minha Vida Gravando os Beatles, Geoff Emerick (2013) - https://amzn.to/2Pk8QIv

Beatles 1966: o ano Revolucionário, Steve Turner (2018) - https://amzn.to/2DRxQl0

Lembranças de Lennon, Jann S. Wenner, Conrad (2001) - https://amzn.to/2rY1IJX

John Lennon: A Vida, Philip Norman (2009) - https://amzn.to/2YomyhL

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du