Curiosidades » Personagem

O bizarro desaparecimento do crânio de Shakespeare

Em 2016, um grupo de pesquisadores fez uma descoberta insólita envolvendo a tumba do artista

Redação Publicado em 28/06/2020, às 08h00

Shakespeare em pintura oficial
Shakespeare em pintura oficial - Wikimedia Commons

Em 2016, um grupo de arqueólogos da Staffordshire University (Reino Unido) estudou com radar a tumba do grande bardo da Inglaterra, na Igreja da Sagrada Trindade, em Stratford-upon-Avon.

O resultado foi que, enquanto a parte de baixo do caixão parecia não ter sido violada, a de cima indicava não só um ataque mas também nenhuma evidência de certa parte fundamental.

Alguém roubou o crânio de William Shakespeare. Isso não foi agora, mas há mais de dois séculos. A aposta da equipe é que o culpado foi certo doutor Frank Chambers, que teria atacado a sepultura em 1794. Chambers respondia a uma aposta do escritor Horace Walpole, que havia dito que daria 300 libras para quem trouxesse a ele a cabeça do artista.

Por que essa obsessão mórbida?

Na época, estava em voga a pseudociência da frenologia, que dizia ser possível tirar conclusões sobre a personalidade de uma pessoa por meio do formato de seu crânio. Isso incluía a pessoa ser um gênio.

“Havia muitos roubos de tumbas de pessoas famosas numa tentativa de ver se a pessoa era um gênio”, afirma o arqueólogo Kevin Colls, condutor do estudo. “Imagino que Shakespeare seria um alvo muito valioso.”

Quanto ao bardo, parece que ele previu o infame destino de sua tumba. Em seu epitáfio, se lê:"Good frend, for Iesus sake forebeare To digge the dust encloased heare. Bleste be ye man spares these stones, And curste be hemy bones".

O que, em inglês elizabetano, quer dizer: “Bom amigo, pela graça de Jesus evite cavar a poeira aqui enclausurada. Abençoado seja o homem que poupar estas pedras e maldito aquele que mover meus ossos”. O médico ladrão não devia acreditar em maldições.


++Saiba mais sobre William Shakespeare através de impressionantes obras disponíveis na Amazon

Grandes Mistérios da História: A teoria da conspiração e os segredos por trás dos acontecimentos, de Sérgio Pereira Couto (2015) - https://amzn.to/2QHjs6p

Grandes obras de Shakespeare - Box (2017) - https://amzn.to/2rs7wuZ

Hamlet, de William Shakespeare (2015) - https://amzn.to/38DPma4

Shakespeare: o que as peças contam, de Barbara Heliodora (2018) - https://amzn.to/2Ocwvv1

Romeu e Julieta, de William Shakespeare (2016) - https://amzn.to/2RmRDjW

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W