Curiosidades » Rússia

O eterno mistério do tesouro perdido dos Romanov, que atravessa o século

Após a execução da família pelos bolcheviques em 1918, a fortuna da dinastia russa simplesmente desapareceu

Daniela Bazi Publicado em 15/05/2020, às 11h13

Os Romanov foram os últimos a assumirem o trono russo
Os Romanov foram os últimos a assumirem o trono russo - Domínio Público

Após serem assassinados em 1918 por revolucionários bolcheviques, a fortuna da família Romanov, última a subir ao trono russo, avaliada em 60 bilhões de dólares simplesmente desapareceu. Ao contrário do que se imagina, o paradeiro da fortuna é um mistério até os dias atuais.

No ano de 1933, parte do tesouro foi encontrado pelo governo soviético nas mãos da    população local, que havia invadido a residência oficial da família imperial, o Palácio de Alexandre, após os mesmos serem capturados e mantidos em cativeiro. Contudo, outros pertences valiosos nunca foram encontrados.

Tesouros da coroa russa encontrados por tropas soviéticas / Crédito: Getty Images

 

Em 2017, documentos descobertos por jornalistas do The Siberian Times revelaram cinco possíveis locais onde os tesouros estariam escondidos, sendo eles as cidades de Tobolsk e Omsk, as regiões de Yamalo-Nenets aos Montes Urais e a Kemerovo, e a estação ferroviária de Tayga. Todos esses eram lugares em que a família mantinha ligações com simpatizantes.

Os arquivos eram mantidos pela KGB, segurança estatal soviética, e também revelaram que aproximadamente 26 caixas de ouro ligadas aos Romanov haviam sido enterradas na estação de Tayga em 1919. As caixas foram procuradas em 1940, porém, nada foi encontrado.

Joias encontradas da família Romanov / Crédito: Domínio Público

 

Desde então, diversas teorias sobre o paradeiro das riquezas passaram a ser espalhadas pelo mundo. Muitos acreditam que o tesouro possa ter sido dividido entre outros membros da família e enviados para o exterior, em uma tentativa desesperada de que os itens não caíssem nas mãos dos bolcheviques.

Todavia, outros afirmam que todos os artefatos se encontram no fundo do mar, e que foram jogados no canal Ob-Yenisei, localizado em Krasnoyarsk, ou no lago mais profundo do mundo, o Baikal. Porém, mesmo com inúmeras suposições sobre onde realmente está o tesouro dos Romanov, ninguém nunca foi capaz de encontrá-los.


+Saiba mais sobre a Revolução Russa por meio dos livros a seguir:

Rumo à Estação Finlândia, de Edmund Wilson (2006) - https://amzn.to/2XRyw32

História Concisa da Revolução Russa, de Richard Pipes (2008) - https://amzn.to/2soj2rQ

História da Guerra Civil Russa  —  1917-1922, de Jean-Jacques Marie (2017) - https://amzn.to/2OLBUIM

A Revolução Russa, de Sheila Fitzpatrick (2017) - https://amzn.to/2OqKBJD

Outubro: História da Revolução Russa, de China Mieville (2017) - https://amzn.to/2DkSp9m

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.