Curiosidades » Borobudur

Borobudur, o impressionante templo budista esquecido por nove séculos

Localizado na Indonésia, templo é ovacionado por seguidores da religião e por entusiastas da arquitetura antiga

Arquivo Aventuras na História (2015) Publicado em 15/05/2022, às 10h00

O templo budista Borobudur
O templo budista Borobudur - Getty Images

Como algo tão grandioso como o templo budista Borobudur pode ficar escondido por tanto tempo? Por que ele foi construído? Por que foi abandonado? Quem o planejou?

Essas perguntas certamente ocorreram aos espantados colonizadores britânicos que, em 1814, encontraram a impressionante obra no centro da Ilha de Java, na Indonésia.

A construção, que se estima ter sido construída entre os anos 750 e 842, ou 400 anos antes das catedrais europeias, foi encontrada após o governador colonial inglês Sir Thomas Raffle incentivar a exploração do local.

O monumento foi erguido em uma colina na junção de dois rios e rodeado por vulcões. Seu ponto mais alto atinge 35 metros, para simbolizar a proximidade com o divino.

É provável que o templo tenha sido construído a mando de um rei da dinastia Saliendra, mas pouco se sabe sobre o monarca, ou do arquiteto da obra, que deve ter levado 75 anos para ser concluída.

Declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1991, o templo passou por uma restauração extensa, que possibilitou a contagem de detalhes impressionantes sobre o local, que hoje em dia pode ser visitado.

Confira 7 curiosidades sobre o impressionante templo:

1. Blocos

Cerca de 55 mil m³ de rocha foram usados para esculpir os blocos usados na construção, retirados dos rios locais. Não foram unidos por argamassa ou cimento, mas projetados para encaixar uns nos outros.


2. Exterior 

Em forma de pirâmide, os cinco primeiros terraços foram organizados em quadrados concêntricos e os três andares superiores formam círculos. Cada lado possui portões em arco protegidos por 32 estátuas de leão.

O templo budista Borobudur em plano aberto/ Crédito: Getty Images

O design remete a uma mandala. A estrutura vertical representa a ascensão para o nirvana, o estado de abandono dos problemas humanos comuns.


3. Painéis

O templo possui 2.670 painéis decorativos em baixo-relevo, dos quais 1.460 possuem função narrativa e 1.212 são puramente decorativos. No total, eles cobrem uma
área de 2,5 mil m². Os painéis narrativos contam a história do príncipe Sidarta, de como ele tornou-se Buda e os ensinamentos que deixou.


4. Domos

As estupas, domos criados para preservar relíquias sagradas (geralmente as cinzas de um monge), representam o mundo e a mente dos budas. Borobudur possui 72 estupas, agrupadas em ordens de oito – para representar os oito passos até a iluminação –, cada qual contendo uma estátua. Apenas a estupa central parece estar vazia.


5. Erupção

O templo foi fechado em 2010, quando uma erupção do Monte Merapi o deixou coberto por uma espessa camada de quase 2,5 cm de cinzas. A limpeza levou um ano e 55 mil blocos tiveram que ser desmontados e reencaixados.


6. Medida

Apesar da complexidade arquitetônica, o templo chama atenção a um método de mensurar os espaços ao longo de sua construção; unidade de medida usada no templo era o tala, a distância entre a testa e a ponta do queixo ou da ponta do dedão à ponta do dedo médio da mão.


7. Estátuas

O templo possui 504 estátuas de Buda, embora muitas tenham sido danificadas ao longo da história, tanto pela deterioração do tempo quanto por desastres ou ataques.

Fiéis com figura religiosa no templo / Crédito: Getty Images

Todas representam a divindade sentada na posição de lótus, ideal para meditação, mas cada uma possui um diferente mudra – posicionamento simbólico das mãos.