Curiosidades » Natal

Conheça a origem dos pratos da ceia de Natal

Cada componente da refeição surgiu em locais e épocas diferentes para formar a mesa mais tradicional do ano

Redação AH Publicado em 21/12/2018, às 09h00

Mesa de natal
Getty Images

Entra ano, sai ano, continuamos nos sentando à mesa para celebrar o Natal, como faziam nossos pais, avôs e bisavôs. É um ritual nascido há mais de três séculos, provavelmente nas igrejas européias, que passaram a reunir os fiéis para uma espécie de encenação da Santa Ceia. O intuito era confraternizar e programar o futuro, e isso também não mudou. Só o cardápio foi se alterando e ganhando novas interpretações em cada país.

No século 19, o pintor Jean-Baptiste Debret (1768-1848) já descrevia o Natal carioca como uma festa de troca de presentes comestíveis, de caças a compotas. Muita gente discorda, mas nossa ceia tem o jeitão do Brasil, mesmo sendo resultado da influência dos imigrantes. "É uma transferência criativa. Temos outras técnicas de preparo e outros condimentos", diz Wanessa Ásfora, doutoranda em História Social na Universidade de São Paulo.

Mesa Farta

Frutas Secas

Reprodução

São tradição no Hemisfério Norte, que celebra no inverno. "Para os romanos, as avelãs evitavam a fome e as amêndoas, os efeitos da bebida", diz a historiadora Vivian Coutinho.

Champagne

Reprodução

As primeiras celebrações com a bebida aconteceram no palácio de Versalhes, na França. Napoleão teria dito que ele era "merecido na vitória, necessário na derrota".

Rabanada

Reprodução

Os portugueses inventaram esse doce feito de pão dormido e fizeram a gentileza de trazê-lo para cá durante a colonização. Na Europa, ele é apreciado o ano todo.

Panetone

Reprodução

A mais famosa lenda sobre ele se passa em Milão. Apaixonado pela filha do patrão, um padeiro criou o "pão do Toni" para o futuro sogro. Certo mesmo é que o doce chegou ao Brasil vindo da Itália.

Tender

Reprodução

Na década de 50, o frigorífico Wilson, de São Paulo, importou pernis de porco defumados. Na embalagem, colocou a expressão tender made ("feito com carinho"). E o paulistano rebatizou o prato.

Peru

Reprodução

Como é barato e engorda rápido, o peru virou símbolo de fartura entre os americanos. Mas não foi por isso que ele veio parar aqui. "Legado português, a ave é apreciada desde a colônia", afirma Vivian Coutinho.

Pernil

Reprodução

A ceia dos portugueses inclui bacalhau com castanhas cozidas. Mas, como o peixe sempre foi caro, muita gente no Brasil deu preferência a um bom porquinho assado.