Curiosidades » Personagem

Os abusos sofridos por Judy Garland nos bastidores de filme, segundo seu ex-marido

Em livro publicado em 2017, Sid Luft revela que a produção do longa teria sido bastante traumática para a atriz de 17 anos

Pamela Malva Publicado em 19/05/2021, às 19h00 - Atualizado em 20/05/2021, às 13h41

Fotografia de Judy Garland como Dorothy
Fotografia de Judy Garland como Dorothy - Divulgação/ Warner Bros. e MGM

“Siga a estrada de tijolos amarelos!” É esse o conselho que Dorothy recebe dos pequenos munchkins logo depois de chegar na Terra de Oz. Ansiosa com a ideia de voltar para sua casa, então, a menina começa uma longa e agitada jornada até a Cidade das Esmeraldas.

Acompanhada por um leão, um espantalho e um homem de lata, Dorothy descobre importantes lições sobre amor, coragem e conhecimento. Para a jovem Judy Garland, atriz responsável por interpretar a protagonista, contudo, a experiência durante o filme foi muito mais trágica do que o encontro da personagem com a Bruxa má do Oeste.

Segundo narrou o segundo dos cinco maridos da atriz em seu livro ‘Judy and I: My Life with Judy Garland’, a garota foi constantemente abusada nos sets de filmagem do longa, ainda que aquele fosse um filme infantil, cheio de cores e figuras fantásticas.

Judy Garland nas filmagens do filme O Mágico de Oz / Crédito: Divulgação 

 

Um papel promissor

Natural de Minnesota, nos Estados Unidos, Judy Garland tinha apenas 16 anos quando foi aceita para o longa ‘O Mágico de Oz’, inspirado no livro de L. Frank Baum. Dona de um rosto angelical, ela representaria a jovem Dorothy, uma garota do Kansas.

Antes de conhecer Garland, contudo, o chefe do estúdio ofereceu o papel principal para Shirley Temple, que acabou recusando o trabalho. Em seguida, Deanna Durbin foi convidada para participar do longa, mas também não tinha espaço em sua agenda.

Dessa forma, em meados de 1938, Judy Garland foi escolhida pelos produtores Arthur Freed e Mervyn LeRoy para representar a gentil protagonista do filme. Com câmeras prontas e figurino em mãos, as gravações começam no dia 13 de outubro de 1938.

Fotografia da artista Judy Garland / Crédito: Wikimedia Commons

 

Dias angustiantes

Com chuquinhas na cabeça e um vestido azul que apenas evidenciava seu rosto jovem, Judy passou meses interpretando Dorothy. No final, a produção custou cerca de 2 milhões de dólares e suas gravações foram encerradas apenas em março de 1939.

O problema é que durante todo o período em que viveu na pele de Dorothy, Judy teve de lidar com problemas pouco comuns para meninas de 17 anos. Existiam dias, por exemplo, em que a atriz ficava 18 horas trabalhando, a fim de agilizar a produção.

Ainda mais, logo que colocava seu figurino, Judy era apertada pela cintura fina do vestido e mal podia respirar com as faixas que era obrigada a usar para esconder seus seios. Antes de gravar, a mãe da menina também lhe dava anfetaminas, para que a jovem ficasse acordada e disposta durante as muitas horas de produção.

A atriz Judy Garland / Crédito: Wikimedia Commons

 

Abusos constantes

Acontece que, segundo Sid Luft, o ex-marido de Judy, esses não foram os únicos problemas enfrentados pela atriz no set de ‘O Mágico de Oz’. Muito além do figurino apertado, dos remédios e das broncas afiadas do diretor, Garland também teve de lidar com frequentes abusos de alguns membros do elenco do filme.

Em seu livro ‘Judy and I: My Life with Judy Garland’ (‘Judy e eu: minha vida com Judy Garland’, em tradução livre), lançado 2017, Luft revela que os supostos abusos eram cometidos por muitos dos anões contratados para representar os munchkins no longa.

"Eles achavam que poderiam escapar de qualquer coisa porque eram pequeninos”, narrou. “Eles fizeram da vida de Judy um pesadelo no set, colocando suas mãos por baixo do seu vestido. Os homens tinham mais de 40 anos", lembrou Sid, sem deixar de pontuar que, na época das gravações, Judy tinha apenas 17 anos de idade.

Cena de 'O mágico de Oz' com Judy Garland e os munchkins / Crédito: Divulgação/ Warner Bros. e MGM

 

Boatos e vícios

O problema relatado pelo ex-marido da atriz, no entanto, não parecia ser um caso isolado, segundo O Globo. Isso porque, naquela época, diversos boatos sobre os atores que representavam os anões da Terra de Oz circulavam por Hollywood.

Certa vez, a própria Judy Garland lembrou que os intérpretes dos munchkins tinham problemas com bebida. "Eles eram bêbados. Ficavam chapados todas as noites e a polícia tinha de contê-los com redinhas de pegar borboletas", revelou a atriz.

No final, apesar de traumáticas, as experiências com os intérpretes dos munchkins foram apenas uma parte dos problemas enfrentados por Judy Garland. Ainda em seu livro, Sid Luft, que foi o segundo dos cinco maridos da atriz, lembra que ela sempre teve problemas com drogas, mesmo durante seus 13 anos de relacionamento.

“Ela era casada com as drogas antes de me conhecer. E nunca se divorciou delas", lembrou ele, no livro, pontuando ainda as várias tentativas de suicídio da artista. Tal vício, inclusive, foi o atestado de morte de Judy Garland, que faleceu aos precoces 47 anos, após sofrer de uma overdose foi acidental, em junho de 1969.


+Saiba mais sobre Judy Garland por meio das obras disponíveis na Amazon:

Judy and I: My Life with Judy Garland, Sid Luft (2017) - https://amzn.to/2vBT8Cl

Get Happy: The Life of Judy Garland, Gerald Clarke (2001) - https://amzn.to/2GGsN8H

Judy Garland: A Biography, Anne Edwards (2013) - https://amzn.to/2RMZUhh

O Mágico de Oz: edição bolso de luxo, L. Frank Baum (2013) - https://amzn.to/39a4iNt

O Magico De Oz [Blu-ray] (2015) - https://amzn.to/2SmozZp

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du