Curiosidades » Mundo

Os antigos moinhos de vento holandeses em 6 curiosidades

Criados em meados do século 12, eles tinham o objetivo de moer grãos, sal e açúcar. Entenda como a invenção funcionava!

Redação Publicado em 01/08/2021, às 08h00

Imagem meramente ilustrativa de moinho de vento holandês
Imagem meramente ilustrativa de moinho de vento holandês - Divulgação/ Pixabay/ 18427938

Captar a energia do vento é medida recente no Brasil para aliviar a pressão sobre as usinas hidrelétricas, em crise atualmente, mas sua técnica, difundida em barcos a vela, é tão antiga quanto a tração animal. E já foi muito mais presente na forma de equipamentos que hoje só servem de enfeite: os moinhos de vento.

Apesar de existirem manuscritos gregos dando pistas de aparatos eólicos, os moinhos nasceram na Pérsia, em 650 a.C. Na Europa, surgiram no século 12, transformando ventanias em força para moer grãos, sal e açúcar.

Em menos de dois séculos, os moinhos europeus ganharam materiais mais leves, torres com vários andares e a parte superior móvel, o que superou a grande desvantagem de as pás não ficarem sempre de frente para o vento.

No começo do século 15, o moinho passou a ser usado também para serrar madeira, rasgar folhas de tabaco e até esmigalhar pedras. Mas em nenhum lugar do mundo essa máquina teve uma função tão ousada quanto na Holanda.

Em vez de esmagar grãos, o moinho holandês retirava a água de terrenos alagadiços para cima dos diques e mar afora. Com eles, o país conseguiu roubar do Oceano Atlântico cercade um terço do seu território, como afirma um ditado holandês: “Deus criou o mundo com exceção da Holanda, que foi criada pelos próprios holandeses”. E pelos moinhos de vento.

1. Asas na terra

Imagem meramente ilustrativa de moinho de vento holandês / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ MarjonBesteman

 

Com revestimentos de tecido, ripas ajustáveis e contornos aerodinâmicos, as pás dos moinhos foram baseadas no desenho das asas dos aviões.


2. Contra o vento

Móvel, a parte superior do moinho permitia que o conjunto de pás ficasse sempre cara a cara com a ventania.


3. Máquina-prédio

A parte fixa de alguns modelos chegava a ter seis andares, que abrigavam o maquinário e serviam de armazém.


4. Força de fusca

Imagem meramente ilustrativa de moinho de vento holandês / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ ValdasMiskinis

 

Com até 25 metros de diâmetro das asas, os moinhos tinham uma potência entre 25
a 30 mil watts (quase a mesma força de um Fusca).


5. Mar à vista

A água dos pântanos dos Países Baixos era levada mar afora por um conjunto de três ou quatro moinhos.


6. Água morro acima

Ao contrário das máquinas movidas pelos rios, o moinho holandês servia para fazer a água circular.


+Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

O Grande Livro de Ciências do Manual do Mundo, de Workman Publishing (2019) - https://amzn.to/37HLUvK

O livro da ciência, de Vários Autores (2016) - https://amzn.to/3eiQHpW

A História da Ciência Para Quem Tem Pressa, de Nicola Chalton e Meredith Mac Ardle (2017) - https://amzn.to/3ejGOrU

O que é Ciência afinal?, de Alan F. Chalmers (1993) - https://amzn.to/2zNHpTV

A gaia ciência, de Friedrich Nietzsche  (2012 - https://amzn.to/3eoM6Ti

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W