Curiosidades » Escravidão

Os horrores da depredação humana: como era o interior de um navio negreiro?

Em um dos capítulos mais tristes da humanidade, negros sequestrados eram alvo de horrores

Redação Publicado em 08/08/2020, às 11h45

Pintura registra o interior de um navio negreiro
Pintura registra o interior de um navio negreiro - Wikimedia Commons

Os navios negreiros levaram mais de 11 milhões de africanos para as Américas. Em caravelas ou barcos a vapor, europeus, americanos e até mesmo outros africanos atravessavam o oceano Atlântico com trabalhadores escravos, geralmente homens de 8 a 25 anos.

No final do sistema de tráfico, a partir de 1850, o critério era bem menos rigoroso: eram levadas mulheres grávidas, bebês e pessoas de idade. Não existiam barcos feitos só para isso, então mais de 60 modelos diferentes foram adaptados. Mas, nos últimos anos, com muitos países proibindo esse comércio, os barcos ficaram menores e mais rápidos.

Quando a viagem demorava mais que o planejado e os mantimentos começavam a rarear, a tripulação jogava ao mar os que julgava ter menos potencial: doentes e crianças. Milho, feijão, arroz eram preparados em imensos tachos no deque superior, e planejados para economizar o máximo possível.

Às vezes não havia o suficiente, e se passavam dias entre as refeições. Por outro lado, os escravos também frequentemente faziam greve de fome, e eram então chicoteados e forçados a comer.

Com sorte, baldes faziam as vezes de privada – e ficavam lá por um bom tempo, pelo horror que os marinheiros tinham ao deque dos cativos. O mesmo acontecia com os mortos, que podiam passar dias, num calor de mais de 40 graus, até serem removidos.

A maioria dos que não conseguiam terminar a viagem – até 25% em alguns casos – perecia por disenteria ou outras doenças.

Navios negreiros eram menores que cargueiros comerciais comuns. Isso servia para que pudessem adentrar os rios africanos, atrás do “produto”. Após a proibição britânica, alguns deles também passaram a atuar como piratas, quando a patrulha ou outras adversidades não permitiam-lhes cumprir a missão original.

Exíguas. Um homem adulto era algemado num espaço de no máximo 1,80 metro de comprimento, 40 centímetros de largura e 1 metro até o teto. Isso com sorte: alguns navios tinham tão pouco espaço que não permitiam virar de lado, quanto menos sentar.

As mulheres tinham mais espaço e às vezes viajavam no deque superior, mas lá elas corriam o risco de ser atacadas pelos marinheiros. Eles eram trocados por produtos sem muito valor na Europa, como armas, aguardente, muito apreciados pelos chefes das tribos. E rendiam muito: um escravo era vendido, em média, por 40 mil reais, em valores atuais.


++Saiba mais sobre a escravidão através de grandes obras disponíveis na Amazon Brasil

Dicionário da escravidão e liberdade: 50 textos críticos, 2018 - https://amzn.to/2Y0apkO

Escravidão – do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares, Laurentino Gomes, 2019 - https://amzn.to/2yFP9Gn

Ser escravo no Brasil: Séculos XVI-XIX, Kátia M. de Queirós Mattoso, 2016 - https://amzn.to/3cFWMvs

Feitores do corpo, missionários da mente, de Rafael Marquese, 2004 - https://amzn.to/356TDC7

Manual Jurídico da Escravidão: Império do Brasil, de André Barreto Campello, 2018 - https://amzn.to/2VZAeii

Escravidão e capitalismo histórico no século XIX: Cuba, Brasil e Estados Unidos, de Ricardo Salles e Rafael Marquese, 2016 - https://amzn.to/2KssujA

Escravidão e cidadania no Brasil monárquico, de Hebe Maria Mattos (1999) - https://amzn.to/2rcVZPV

Na Senzala, uma Flor, de Robert W. Slenes (2012) - https://amzn.to/333xXV0

A escravidão no Brasil, Jaime Pinsky (1988) - https://amzn.to/344nNEN

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W