Curiosidades » Personagem

Pais separados e solidão: a turbulenta infância da Princesa Diana

Herdeira de condes e barões, Lady Di cresceu na aristocracia britânica, mas nada foi suficiente para amparar algumas angústias

Pamela Malva Publicado em 19/11/2020, às 08h00

Lady Di em aparição pública
Lady Di em aparição pública - Wikimedia Commons

Em meados de 1954, o visconde John Spencer e a jovem Frances Ruth Roche assinaram o sagrado matrimônio em uma bela cerimônia. Membros da aristocracia britânica, eles contaram com convidados da elite, como a Rainha ElizabethII.

Filha de um barão, Frances tinha 18 anos quando se casou com John, o herdeiro de um conde que já estava na casa dos 30. Nascidos entre a nobreza, então, eles detinham uma enorme fortuna, que, mais tarde, foi deixada para seus filhos.

No total, o casal teve cinco crianças, sendo que uma delas, o pequeno John, morreu ainda na infância. A herdeira nascida em 1961, no entanto, é a mais conhecida da família, já que, com cabelos loiros e brilhantes, ela cresceu para se tornar a icônica Lady Di.

A famosa e amada Lady Di / Crédito: Divulgação

 

Uma jovem herdeira

A longa e próspera relação dos Spencer com o dinheiro nasceu entre os séculos 15 e 16, quando a família começou a criar ovelhas. Com o negócio próprio, os empreendedores ganharam sua primeira fortuna e nunca mais perderam sua posição na elite.

Foi nesse contexto cercado por muito dinheiro e responsabilidades comuns para membros da aristocracia que a pequena Dianaviveu. Nascida no primeiro dia de julho de 1961, a garotinha recebeu o título de Lady quando seu avô morreu, em 1975.

Com uma infância lotada de regalias, a menina cresceu ao lado das duas irmãs, Lady Sarah e Lady Jane, e de seu irmão mais novo, Charles. Juntas, as crianças criaram uma relação de confiança, dividindo uma vida de luxo. Mas será que Diana era feliz?

O casal real no anúncio do noivado, em 1981 / Crédito: Getty Images

 

Uma infância turbulenta

Segundo Mary Clarke, a ex-babá da pequena lady, “Diana teve uma infância feliz e segura”. Enquanto trabalhava com a família, a mulher descobriu que a garotinha “era prestativa, risonha, exuberante, além de ser a menina dos olhos do pai”.

Na opinião do pequeno Charles, no entanto, sua irmã teve uma infância infeliz, a começar pela separação dos pais, em 1969. Na época, a família se despedaçou quando Frances deixou seu marido para fugir com o australiano Peter Shand Kydd.

A fim de ficar com os filhos, todavia, a mulher deu início à uma longa e exaustiva batalha judicial, que acabou por favorecer o pai das crianças. Nesse momento, Diana e Charles ficaram bastante próximos, por culpa da idade, e compartilharam do mesmo sentimento de abandono, tornando-se ainda mais próximos.

Passeio da família real britânica/Crédito: Divulgação

 

Irmãos contra o mundo

Sempre muito unidos, Charles e Diana desfrutavam de uma relação muito parecida com os pais. “Nosso pai era uma fonte silenciosa e constante de amor, mas nossa mãe não foi feita para a maternidade”, contou o menino, mais tarde.

Tudo piorou, entretanto, quando Frances conheceu Peter, que era um magnata da indústria de papéis de parede. “Não era culpa dela. Ela estava apaixonada por outra pessoa — apaixonada de verdade", narrou Charles, que é herdeiro da Rainha Elizabeth II.

Com a decisão judicial da custódia, então, Diana e seus irmãos passaram a morar com o pai, coisa que abalou a menina profundamente. Pequena demais para entender tudo que estava acontecendo, LadyDi sentiu que foi abandonada pela mãe.

Uma das fotografias mais famosas de Lady Di / Crédito: Getty Images

 

Nas escadas do palácio

Completamente apaixonada por dança, a menina ainda esperava pelo dia que sua mãe voltaria para buscá-la. “Ela costumava esperar na porta pela mãe, mas Frances nunca apareceu”, contou Charles, em entrevista ao The Sunday Times.

Com apenas sete anos de idade, Diana viu-se, portanto, responsável pelo irmão, que tinha apenas dois anos. Ainda ao The Sunday Times, o menino explicou que ela “suportou as longas viagens de trem entre a casa dos pais nos finais de semana”.

Para piorar, Lady Di e seus irmãos não se deram nada bem com a nova namorada do pai. Nesse sentido, os herdeiros de John Spencer sequer foram convidados para a comemoração do casamento entre o pai e sua nova esposa, a socialite Raine Legge.

Diana e seu pai, o Conde Spencer, no dia do casamento da jovem / Crédito: Getty Images

 

Da turbulência para o amor

Com 9 anos, a menina foi enviada para um internato chamado Riddlesworth. Aos 16 anos, contudo, quando já era uma Lady, Diana foi retirada da instituição por suas péssimas notas. Com isso, ela foi enviada para uma escola só para meninas na Suíça.

Mais ou menos nessa época, a jovem conheceu seu futuro esposo, o Príncipe Charles, que ironicamente namorava Sarah, sua irmã mais velha. Exímia nadadora, esquiadora, jogadora de tênis e pianista, ela se apaixonou pelo herdeiro da coroa britânica.

Apesar de nobre, Diana ainda teve diversos trabalhos comuns, como diarista, garçonete e até babá. Foi apenas em 1981, então, que a jovem aristocrata, tornou-se a conhecida Lady Di, esposa do Príncipe Charles, uma das nobres mais amadas pelo Reino Unido.


+Saiba mais sobre o tema através das obras abaixo, disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of ElizabethII (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W