Curiosidades » Mundo

Por que a China, o Japão e as Coreias receberam esses nomes?

Zhonghua, Nippon, Hanguk e Choson: Em seus territórios, as nações têm nomes bastante diferentes dos que conhecemos

Redação Publicado em 27/06/2021, às 08h00

Mapa da Ásia em meados de 1892
Mapa da Ásia em meados de 1892 - Domínio Público/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Aqui no Brasil a gente tem o privilégio de, em que se pese o “z” no lugar do “s”, ser chamado pelo próprio nome. Na China, no Japão e na Coreia a coisa é bem diferente. China é Zhonghua em chinês. Japão, Nippon ou Nihon (ambos são aceitos). Coreia é Hanguk na do Sul, ou Choson, na do Norte.

Quando um país é referido por um nome muito diferente do próprio, temos um exônimo. Dois desses exônimos foram criados por Portugal, o primeiro país europeu a entrar em contato direto com o Extremo Oriente, na época das Grandes Navegações.

Primeiro, o Japão. A palavra vem do malaio Jipon, que por sua vez vinha do mandarim (na leitura de Xangai) Zeppen. Isso era como os chineses liam os mesmíssimos caracteres que formam o nome do Japão em japonês: Nippon, “sol nascente”.

A confusão vem do fato de o alfabeto em comum entre China e Japão ser formado por ideogramas, não letras, podendo representar palavras inteiras — que são diferentes entre duas línguas distintas. Curiosamente, os portugueses registraram o nomes “Nifon” e “Iipon” quando entraram em contato com os japoneses — ambas transcrições exatas da pronúncia da época. Mas o que colou foi a importação malaia.

Pintura chinesa do século XIX, criada entre 1850 e 1864 / Crédito: Domínio Público

 

Com a China foi a mesma coisa. Os romanos, que nunca visitaram o lugar, mas sabiam da seda que vinha de lá, chamavam-no de Sinae, que virou simplesmente Sina. Essa vem do sânscrito Cina, via contato com os indianos. Os persas a chamavam de Chini, e os portugueses criaram a pronúncia moderna a partir daí. Em chinês, Zhonghua (jong-ruá) quer dizer “Império do Centro”.

Quanto à Coreia, não é cem por cento um exônimo. O nome vem do reino de Koryo (ou Goryo), uma dinastia que dominou o país entre 918 e 1392. Esse foi o nome registrado por Marco Polo, que chegou ao Ocidente. Em 1392, a dinastia foi mudada para a Joseon, que, com o tempo, transformou-se em Choson.

Quando o país foi liberado do domínio japonês, os nacionalistas adotaram o termo Daehan Minguk (“Grande Nação Han”), depois simplificado para Hanguk (“República Han”). No norte, os comunistas preferiram o velho nome, que estava na boca do povo.


+Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

Mao: A história desconhecida, de Jon Halliday e Jung Chang (e-book) - https://amzn.to/2oXZskY

A Extraordinária História da China, de Sérgio Pereira Couto (e-book) - https://amzn.to/2sPnOPN

História Concisa do Japão, de Brett L. Walker (2017) - https://amzn.to/2ZUh3Ka

História do Japão, de Kenneth Henshall (2008) - https://amzn.to/3fW57gA

Coreia do Norte: a última Dinastia Kim, de José Manuel Duarte de Jesus (2018) - https://amzn.to/3fEAkoO

A acusação: Histórias proibidas vindas da Coreia do Norte, de Bandi (2018) - https://amzn.to/35IBiLS

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W