Curiosidades » Ucrânia

Por que uma mãe ucraniana escreveu nome e telefone nas costas da filha de 2 anos?

História de guerra compartilhada nas redes sociais emocionou inúmeras pessoas

Fabio Previdelli Publicado em 06/04/2022, às 11h01

Mãe ucraniana escreveu nome e telefone nas costas da filha de 2 anos
Mãe ucraniana escreveu nome e telefone nas costas da filha de 2 anos - Divulgação/Instagram/aleksandra.mako

Na madrugada do dia 24 de fevereiro, o presidente russo Vladimir Putin autorizou o que chamou de uma “operação militar especial” na Ucrânia. Desde então, a população da nação vizinha vem passando por momentos de terror e incertezas. 

Ao som de cada explosão que acontece nas cidades ucranianas, o medo da morte se torna maior, o que leva as pessoas a situações extremas. Um desses relatos emocionantes foi dado pela artista Aleksandra Makoviy em suas redes sociais. 

Temendo que sua filha de dois anos pudesse desaparecer em meio a guerra, Makoviy escreveu o nome da menina e alguns números de telefone com uma caneta nas costas da pequena Vira

Eu estava tremendo nas primeiras horas", disse, conforme repercutido pelo G1. "Assinei com as mãos tremendo muito."

A artista aponta que tomou tal decisão em um momento de desespero. Além dos escritos em suas costas, Vira também tinha em seus bolsos um cartão com suas informações pessoais. 

Aleksandra conta que ainda não conseguiu se desfazer do bilhete, embora, hoje, as duas estejam em segurança fora do país. Fugindo pela Polônia, assim como diversos outros refugiados, elas conseguiram encontrar um abrigo em uma cidade na região sul da França. "Fomos recebidos por voluntários, recebemos moradia e fomos totalmente atendidos".

A mulher ainda revela que, após publicar sua história nas redes sociais, recebeu inúmeras mensagens de apoio e ofertas de ajuda. "Como é que pode um mundo como este, de coisas boas, ter esse mal contínuo invadindo nossas cidades?".

O paradeiro do pai de Vira, porém, é um mistério, visto que o governo ucraniano proibiu que homens entre 18 e 60 anos deixassem o país enquanto a guerra contra os invasores russo ainda esteja em vigência.