Por que usamos combustíveis fósseis?

Eles ajudaram a resolver questões ambientais urgentes

Fábio Marton Publicado em 24/04/2017, às 11h02 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

Sobra de gás natural queimando na plataforma de petróleo
Sobra de gás natural queimando na plataforma de petróleo - Shutterstock
DÚVIDA CRUEL 

Para resumir um longo assunto científico, combustíveis fósseis são os que tiramos do subsolo: carvão mineral, petróleo e gás natural. Ao queimá-los, soltamos no ar um carbono que estava há milhões de anos enterrado, aumentando sua proporção na atmosfera. Isso é considerado como a maior razão para a mudança climática

Por incrível que pareça, quando eles começaram a ser usados, soava como uma solução amigável para o meio-ambiente. Conhecidos desde a Antiguidade, os combustíveis fósseis nunca tiveram importância até a Revolução Industrial, a partir da qual máquinas passaram a usar quantidades imensas de carvão mineral, dividindo depois espaço com usinas termoelétricas movidas a carvão ou gás natural - e veículos a gasolina, diesel, gás natural ou querosene de aviação.

A industrialização não começou movida por combustíveis fósseis, mas por água: em 1764, o inglês James Hargreaves inventou um tear mecanizado movido por uma roda-d¿água e tornou a indústria têxtil inglesa a primeira a se mecanizar. O motor a vapor, criado em 1712 por Thomas Newcomen, só se tornou viável com o modelo de James Watt, em 1775. Diferente de rodas-d'água, motores a vapor podem ser instalados em qualquer lugar, inclusive em máquinas móveis, como navios e trens. Além disso, não param de funcionar nas secas.

Mesmo com as máquinas a vapor, o planeta não estava condenado à mudança climática. O carvão vegetal, renovável, é em tudo superior ao carvão mineral: queima a uma temperatura maior e contém menos impurezas. A introdução do carvão mineral serviu a uma razão ecológica: as florestas da Europa estavam sendo devastadas para produzir carvão. Sem o carvão mineral, teria sido cortada até a última árvore durante a Revolução Industrial.

O petróleo tem uma história parecida: era considerado um óleo fedorento e de baixa qualidade. Era usado para acender lâmpadas (de fogo, como aquelas do Aladim) apenas pelos mais pobres. Foi só na metade do século 19 que começou a atrair interesse. Primeiro, no final da década de 1840, para fazer velas de parafina. Em 1850 surge o querosene, usado em iluminação pública. Tanto as velas quanto as lâmpadas da cidade eram feitas com óleo de baleia. O petróleo, assim, ajudou a evitar que elas fossem caçadas até a extinção. 

O gás natural, encontrado junto com o petróleo e o carvão, foi primeiro usado na China, há incríveis 2500 anos, conduzido por canos de bambu. Servia para ferver a água do mar para extrair sal. No começo da exploração do petróleo, no século 19, era considerado um resíduo inútil e simplesmente queimado na própria plataforma. Ainda hoje, por várias questões práticas, o gás ou é bombeado de volta para o solo. Ou queimado - como na imagem que abre a matéria. O que certamente não ajuda.