Curiosidades » Personagem

Relembre o caso da múmia que pertenceria a um dos últimos monarcas do Irã

O corpo foi encontrado em um santuário no ano de 2018

Redação Publicado em 09/10/2021, às 08h00

A múmia muito provavelmente pertence a Reza Pahlavi
A múmia muito provavelmente pertence a Reza Pahlavi - Divulgação / Tasnim news (Creative Commons)

No ano de 2018, no dia 23 de agosto, um grupo de trabalhadores que realizavam obras em um santuário de Shahr-e Ray encontrou uma múmia que pertenceria a um dos últimos monarcas do Irã, Reza Xá.

A informação foi confirmada pelos próprios familiares da figura histórica que deu início à dinastia Pahlavi, a qual perduraria por mais de 50 anos.

A tumba do líder acabou por ser destruída após a revolução de 1979, que transformou o território iraniano em uma república islâmica teocrática. Desde então, ninguém nunca mais soube do paradeiro de seus restos mortais.

A suposta múmia do rei

De acordo com informações da BBC da época, o neto do antigo monarca, também chamado Reza Pahlavi, foi quem afirmou que o corpo encontrado seria "muito provavelmente" de seu avô.

Por meio do Twitter, o descendente do antigo líder, que hoje vive nos Estados Unidos, pediu às autoridades do Irã que permitissem que os restos mortais fossem enterrados de maneira adequada.

Reza Xá / Crédito: Domínio Público / Alchetron 

 

"Se não como um pai do Irã moderno ou como um rei, ao menos como um simples soldado e servo do seu país e seu povo, Reza Xá deve ter um túmulo com seu nome em uma localização conhecida dos iranianos", declarou.

Também o porta-voz do Comitê de Herança Cultural de Teerã disse à agência de notícias oficial do país, ISNA, que era possível que a múmia fosse da fato de Reza Xá Pahlavi. Até o momento, o site Aventuras na História não encontrou novas informações sobre o caso. 

Fim do reinado e morte

O monarca acabou sendo deposto no ano de 1941 por forças militares russas e britânicas, deixando o filho em seu lugar, motivo pelo qual se exilou na África do Sul. Ele faleceu três anos após o ocorrido, ainda em terras estrangeiras.

Em princípio, seu corpo foi embalsamado e enterrado no Egito. No entanto, mais tarde foi levado ao seu país natal, resultando no episódio mencionado no começo da reportagem. 

Apesar de ser considerado o responsável pela modernização do Irã, ao longo de seu reinado, Reza Xá foi criticado por seus diversos ataques à religião, além das supostas violações de direitos humanos promovidas por seu governo.