Curiosidades » Antiguidade

O túmulo de Cleopatra e Marco Antônio pode ser encontrado?

Se localizado, a descoberta poderia trazer importantes revelações sobre o casal mais famoso da História

Cláudia de Castro Lima e Joseane Pereira Publicado em 12/08/2019, às 05h00

None
Crédito: Reprodução

A localização da tumba de Cleópatra, rainha que governou o Egito no primeiro século antes de Cristo, é um dos maiores mistérios da Arqueologia. Enterrada junto a Marco Antônio em seu último ninho de amor, esta poderosa mulher foi um símbolo de inteligência, diplomacia e estratégia.

Última rainha da dinastia de Ptolomeu, Cleópatra governou o Egito entre 51 a.C. e 30 a.C. Acostumada ao luxo e à fartura desde que nascera, a garota cresceu entre políticos e pensadores, viajando muito com o pai Ptolomeu XII e tendo ótima educação. Sabia aritmética, geometria, música e astrologia, formou-se em retórica e aprendeu nove línguas, inclusive hebraico, troglodita (uma língua etíope) e egípcio (coisa que nenhum ancestral seu o fez).

Entretanto, os romanos (que tomaram o território egípcio como uma simples colônia de Roma após a morte de Cleópatra) atrelaram toda a história da última faraó à sua sexualidade. Afinal, era melhor pensar que a mulher mais poderosa do mundo no século 1 a.C. conseguiu quase tudo o que quis porque era incrivelmente sedutora — e não porque era incrivelmente inteligente.

Romance mortal

A rainha do Egito estava longe de ser uma devassa. Júlio César foi provavelmente seu primeiro homem, e Marco Antônio, o segundo (e último). Não há registro confiável de outros envolvimentos amorosos, afinal, seus casamentos anteriores com seus irmãos se deram quando eles eram muito jovens.

O relacionamento entre Cleópatra e o general Antônio foi longo — durou 11 anos — e, de forma geral, divertido. Eles fizeram o que chamaram de pacto de boa vida e apelidaram a si mesmos de Inimitáveis Viventes, adorando promover grandes banquetes e festas.

Entretanto, o casal teve uma morte trágica: ao perder a disputa pelo poder do Império Romano contra Otávio, Marco Antônio acabou esfaqueando a si mesmo após ouvir que sua amada havia se suicidado. Em uma confusão histórica, Antônio morreu nos braços de Cleópatra, que se suicidou posteriormente para não ser presa por Otávio.

Templo de Osíris em Taposiris Magna, no Egito / Crédito: Wikimedia Commons

 

O Túmulo

Encontrar a tumba de Cleópatra e Marco Antônio teria uma importância arqueológica fenomenal. Desde 2009, pesquisas e escavações vêm sendo realizadas no antigo sítio arqueológico de Taposiris Magna, a 30 km de Alexandria, onde foram localizadas moedas com a face de Cleópatra e uma máscara atribuída ao rosto de Marco Antônio. Para os arqueólogos, uma certeza é que os dois foram enterrados juntos.

O proeminente arqueólogo egípcio Zahi Hawass, em conferências e entrevistas de divulgação, tem declarado a possibilidade da descoberta:  “A pista que temos é que ela pode estar em um Templo de Osíris e Ísis. Estamos fazendo as escavações no lugar e já encontramos uma linda escultura com a face de Cleópatra, moedas com seu rosto e algumas múmias, duas com ouro, e isso nos mostra que pessoas muito importantes foram enterradas lá. Não posso dizer que este é o lugar, mas estamos animados com o que descobrimos até agora”, afirma Hawass.