Curiosidades » Personagem

Vítimas do brutal HIV: relembre 5 grandes personalidades soropositivas

Fossem cantores, atores ou pensadores, alguns deles decidiram usar suas vozes para combater a desinformação e o preconceito

Pamela Malva Publicado em 02/05/2021, às 10h00 - Atualizado em 03/05/2021, às 19h52

Fotografias de Cazuza e Freddie Mercury
Fotografias de Cazuza e Freddie Mercury - Wikimedia Commons

No dia 12 de dezembro de 1977, a médica dinamarquesa Grethe Rask tornou-se o primeiro caso já registrado de uma vítima de AIDS. Ainda assim, segundo reportagem da Superinteressante, acredita-se que um marinheiro inglês de 25 anos já havia morrido com os típicos sintomas da doença em meados de 1959.

Décadas mais tarde, no início da década de 1980, o vírus do HIV se espalhou pelo planeta, abrindo portas para uma irreversível epidemia de AIDS. Naquela época, enquanto as pessoas saudáveis tinham medo de encostar nos soropositivos, o diagnóstico parecia uma sentença de morte para artistas, escritores e pesquisadores.

No entanto, é importante lembrar que, ao contrário do que as pessoas pensavam nos anos 1980 — e, em alguns casos, pensam até hoje —, a AIDS não acometeu apenas membros da comunidade LGBT. No final das contas, o HIV atingiu e ainda pode atingir qualquer um, independentemente de gênero, profissão, idade ou sexualidade.

Confira cinco personalidades que a humanidade perdeu para o vírus do HIV:

1. Agenor Neto, o Cazuza

Fotografia de Cazuza / Crédito: Divulgação

 

Nacionalmente conhecido como o vocalista da banda Barão Vermelho, Cazuza descobriu seu quadro de AIDS após ser internado com pneumonia, em 1986. Na ocasião, seus exames comprovaram a infecção e, assim, ele deu início a uma longa jornada de tratamentos, além de intensas buscas por ajuda nos Estados Unidos.

O artista, contudo, revelou ser soropositivo apenas em 1989. Como estava no auge de sua carreira, Cazuza continuou marcando presença em festas e premiações, mas com o objetivo de desmistificar a doença, sempre sentado em uma cadeira de rodas. Ele morreu no ano seguinte, devido a um choque séptico causado pela AIDS.


2. Sandra Bréa

Entre 1970 e 1980, a atriz fez sucesso com suas participações em novelas como 'Elas por Elas' e 'Ti Ti Ti'. Em 1993, Sandra, que era dona de uma bela carreira, revelou seu diagnóstico soropositivo e passou a lutar contra a desinformação sobre o HIV.

Uma vez diagnosticada com a doença que já havia matado milhares de pessoas, a atriz afirmou que não se entregaria para a AIDS. “Morrerei como qualquer um, atropelada”, narrou. Anos mais tarde, Sandra ainda foi acometida por um câncer de pulmão e acabou falecendo pouco depois de se recusar a realizar a quimioterapia, em maio de 2000.


3. Renato Russo

Fotografia de Renato Russo / Crédito: Wikimedia Commons

 

Tidas como atemporais, as letras de Renato Russo já emocionaram gerações e o transformaram em um dos mais célebres compositores do Brasil. Toda a genialidade, contudo, pareceu desaparecer em 1989, quando o cantor se descobriu soropositivo.

Nascido no Rio de Janeiro, o vocalista da eterna Legião Urbana nunca assumiu a doença, nem mesmo quando o assunto ‘AIDS’ surgia em entrevistas. Guardando seu segredo, o compositor morreu em outubro de 1996, vítima de quadros desencadeados pelo HIV.


4. Herbert de Souza

Fotografia do sociólogo Herbert de Souza / Crédito: Wikimedia Commons

 

Diferente de muitos pacientes diagnosticados com AIDS, o sociólogo contraiu o vírus da doença durante uma transfusão de sangue. Acontece que, assim como seus irmãos, Herbert era hemofílico e precisava de constantes visitas ao hospital para sobreviver.

Em 1986, então, após uma das muitas sessões de transfusão, com as quais já estava acostumado, ele descobriu ser soropositivo. Uma vez contaminado, o sociólogo decidiu usar de seu status como figura pública para defender os direitos dos portadores de HIV.

Naquele mesmo ano, ele fundou a Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS. Com o lema de “comemorar a vida todas as manhãs”, Herbert faleceu em 1997, já bastante debilitado, após mais de uma década lutando contra os impiedosos sintomas da AIDS.


5. Freddie Mercury

Freddie Mercury, o grande vocalista do Queen / Crédito: Divulgação

 

Líder da icônica banda Queen, Freddie é um dos maiores personagens soropositivos da história. Mesmo tendo revelado seu diagnóstico apenas um dia antes de falecer, o artista acabou se tornando uma vítima do preconceito, que era latente na época.

Por conta da vida festeira e dos boatos sobre sua sexualidade, Mercury era um constante alvo dos tablóides. Supostamente diagnosticado em 1986, o cantor sofreu com os sintomas do HIV durante anos, tornando-se cada vez mais fraco e recluso. Afastado dos palcos, ele faleceu em 1991, vítima de uma broncopneumonia causada pela doença.


ERRATA

A reportagem errou ao afirmar que Russo nasceu em Brasília. O conteúdo foi alterado!


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Manual de HIV / Aids, por Marcia Rachid e Mauro Schechter (2017) - https://amzn.to/35JqfCK

HIV/AIDS: Enfrentando o sofrimento psíquico (Construindo o compromisso social da psicologia), por vários autores (2014) - https://amzn.to/35Rjkrh

Tempo bom tempo ruim, de Jean Wyllys (2014) - https://amzn.to/3gV7rW5

Reconhecimento dos Direitos Humanos LGBT, Patrícia Gorisch (2014) - https://amzn.to/3gYV7UM

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W