Cerveja ancestral

A cevada chegou à China antes do que se pensava

Fabio Marton Publicado em 24/07/2016, às 11h36 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

.
. - .
Estudando funis e vasos de cerâmica de 5 mil anos, encontrados na província de Shaanxi, arqueólogos descobriram restos de oxalato, um resíduo da fabricação de cerveja. Não apenas isso, como também restos de vegetais, que indicam que a cerveja foi feita com lágrimas de Jó, um cereal asiático semelhante ao sorgo, raízes e cevada. 
Esta última foi uma grande surpresa – até agora, a evidência mais antiga do cereal na China datava de mil anos depois. Arqueólogos acham que a cevada não veio sozinha. “É possível que, quando a cevada foi introduzida da Eurásia ocidental na planície central da China, ela tenha vindo com o conhecimento de que o grão era um bom ingrediente para fazer cerveja”, afirma Jiajing Wang, o condutor do estudo, da Universidade da Califórnia. “Então não foi apenas a introdução de uma nova plantação mas também o conhecimento associado a ela.”