Xica da Silva: Um Mito Brasileiro

Aventuras na História edição 165, fevereiro de 2017

Redação AH Publicado em 26/01/2017, às 08h38 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

Aventuras na História edição 165, fevereiro de 2017
Aventuras na História edição 165, fevereiro de 2017 - Redação AH

Xica da Silva: um mito brasileiro

Existem duas mulheres cujo nome tem o mesmo som, mas grafias e significados diferentes. 

Uma é Xica com xis. A escrava que venceu todo o tipo de dificuldades para se tornar uma das mais poderosas mulheres da América a seu tempo. A devoradora de homens que, por meio de sua irresistível magia sexual e pura força de caráter, pôs de joelhos um dos homens mais poderosos de era da mineração. Através do que conseguiu inimagináveis privilégios – como uma igreja só para ela, quando foi, pela sua cor, barrada da capela local. Uma mulher imporia sua aceitação pela sociedade branca, numa vingança, exibindo a força de uma sensualidade que as europeias não tinham. 

E há a Chica com ch. A figura histórica, não a fantasia de carnaval. Assim como seu nome respeita a ortografia da língua portuguesa, seria uma figura inserida nas regras da sociedade colonial do século 18. Não uma contestadora, nem uma vítima, mas um figura de sua época cuja história seria usada para construir um mito, parte importante a própria identidade da nação brasileira. Mas um mito que precisa ser revisado. (...)


Nesta edição

► Delírio Vermelho: os incríveis monumentos da Iugoslávia comunista
► A morte de Pero Vaz de Caminha
► Como fazíamos sem... Direitos autorais
► Arte e História: Vila dos Mistérios, Pompéia
► Bandeiras & Brasões: Símbolos da anarquia
► Dito & Feito: Brigadeiro
► Era uma vez... Kumbhakarna, o gigante dorminhoco
► História Maluca: Santa Wilgefortis, a Jesus de saias
► AH10+ Conspirações da vida real
► Futebol: A Taça Princesa Isabel
► Viagem com História: Bangcoc
► Retrotech: Porta-aviões aéreos de Stálin
► Mary del Priore: Trabalho infantil
► Foto-história: A cabeça da Estátua da Liberdade