A herege Joana D'Arc

Visões de Joana D’Arc podem ter origem em problema neurológico

Fabio Marton Publicado em 06/10/2016, às 08h26 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

Joana D’Arc foi condenada por heresia e executada na fogueira, no século 15. No século 20 foi canonizada
Joana D’Arc foi condenada por heresia e executada na fogueira, no século 15. No século 20 foi canonizada - divulg.

A História da mártir católica começa com uma visão na qual o Arcanjo Gabriel e outros santos a conclamam a se juntar aos exércitos do rei Carlos VII e expulsar os ingleses da França.

As visões são consideradas autênticas pela Igreja Católica, e Joana D’Arc foi canonizada em 1920. Dois neurologistas italianos, Guiseppe d’Orsi, da Universidade de Foggia, na Itália, e Paola Tinuper, da Universidade de Bolonha, acreditam ter encontrado uma explicação mais mundana: Joana sofreria de epilepsia idiopática parcial. Isso faz com que as pessoas ouçam vozes.

Eles chegaram a essa conclusão após estudar os documentos de seu processo de acusação de bruxaria, que terminou com ela queimada viva.

E acreditam que podem provar: como a condição é hereditária, se um dia for encontrada uma de suas cartas, nas quais ela incluía pedaços do seu cabelo, pode ser possível diagnosticar a epilepsia por meio de um exame genético.