Notícias - Sacrifício no templo de Zeus

Lenda macabra acaba de ser confirmada

Fabio Marton Publicado em 30/09/2016, às 14h30 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

.
. - divulg.
Gregos e romanos da era clássica abominavam o sacrifício humano. Para eles, era coisa de bárbaros – como os rivais fenícios e cartagineses – ou degenerados. Mas uma lenda pairava sobre seu próprio passado: que no topo do Monte Liceu, o suposto local do nascimento de Zeus, um dia foram feitos sacrifícios humanos. 
A lenda, registrada por Platão e outros autores, é que um menino era sacrificado, assado e devorado junto com animais. Quem comesse a parte humana se tornaria um lobisomem. 
Uma escavação no monte acaba de encontrar os restos de um rapaz numa pilha de cinzas de animais sacrificados. Uma parte do crânio não estava no lugar. Os arqueólogos não chegaram a dizer com todas as letras que era um sacrifício humano, mas chegaram quase lá. “Este é um altar de sacrifício”, afirma David Gilman Romano, um dos responsáveis pela descoberta. “Não é um lugar onde você enterraria um indivíduo. Não é um cemitério.”
O corpo data de 3 mil anos atrás, durante o período micênico. O que aconteceu nessa época era um mistério para os próprios gregos da era clássica, séculos depois. Uma catástrofe, provavelmente uma massiva invasão bárbara, acabou com a civilização micênica. Seus descendentes, os gregos, só conheciam o passado por lendas como as na Ilíada e Odisseia.