Coronavírus » Pandemia

Amazonas, Mato Grosso do Sul e Roraima priorizam logística e conseguem acelerar a vacinação contra a Covid

No momento, os três Estados brasileiros buscam imunizar os povos indígenas para realizar a transição de fases

Penélope Coelho Publicado em 04/02/2021, às 07h18

Retrato de indígenas brasileiros
Retrato de indígenas brasileiros - Getty Images

De acordo com informações publicadas na última quarta-feira, 3, pelo jornal Folha de São Paulo, o atual momento em que o Brasil vive um atraso na vacinação contra o novo coronavírus contrasta com três estados do país, que estão conseguindo agilizar com sucesso o processo para vacinar suas populações.

Segundo revelado na reportagem, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Roraima, programaram a logística para a distribuição da vacina e priorizam, no atual momento, a população indígena. Os resultados apontam que a escolha está rendendo respostas animadoras.

Sabe-se que ao todo, Roraima vacinou atualmente cerca de 2,98% da população acima de 18 anos, o que vale a 12.645 mil pessoas. Já o Amazonas vacinou 2,23% dos maiores de idade, ou seja, 63.565 pessoas. O Mato Grosso do Sul disponibilizou a primeira dose do imunizante para 2,22% de sua população, com 46.152 mil habitantes vacinados.

Os números são otimistas; se comparados à proporção da população de cada estado, eles ficam atrás somente do Distrito Federal que tem atualmente 3,27%, da população vacinada, o que corresponde a 76.424 mil pessoas.

RR, AM e MS focam na imunização dos índios, já os estados que apresentam as maiores populações indígenas do país. Além da vulnerabilidade dos povos, os índios também demonstram uma alta taxa de mortalidade em decorrência do vírus.

Pelo difícil acesso às aldeias foi necessário pensar em um processo de logística para a entrega das vacinas. Por isso, o Corpo de Bombeiros e as Forças de Segurança estão ajudando na distribuição, além do auxilio de aviões da FAB (Força Aérea Brasileira), para levar o imunizante até as aldeias.